Bandeira e Fred Luz “somem” em meio à mudanças no Flamengo

27
Fred Luz e Eduardo Bandeira de Mello, Presidente do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

COLUNA
DO FLAMENGO
: Na reta final da passagem no comando técnico do Flamengo, Zé
Ricardo tinha um defensor inseparável: Eduardo Bandeira de Mello. Já tendo
contratado 10 treinadores desde que assumiu a presidência, em 2013, o
mandatário não queria se desfazer do comandante. Manteve o apoio até onde pode,
mas, viu a situação começar a fugir do controle. Primeiro foram os constantes
gritos de “Fora Zé Ricardo” nas arquibancadas da Ilha do Urubu e nas redes
sociais, seguido de uma manifestação truculenta no aeroporto Santos Dumont,
quando o time voltava da classificação suada contra o Santos, pela Copa do
Brasil. Este cenário culminou em críticas mais contundentes à diretoria do Mais
Querido.

Com
medo que a sequência de protestos espirrasse no trabalho desenvolvido à frente
do clube, Bandeira demitiu o jovem comandante após a derrota para o Vitória,
por 2 a 0, no último domingo. Entretanto, ao contrário do que se tem visto nos
últimos meses, até o momento, o dirigente ainda não deu nenhuma declaração
sobre o ocorrido e o atual momento do clube.
Acumulando
a pasta de vice-presidente de futebol desde o afastamento de Flávio Godinho
(devido à investigação da Operação Lava Jato), EBM tinha o costume de ir a
público e declarar apoio à comissão técnica comandada por Zé.
O
acumulo de funções, aliás, é uma das maiores críticas da oposição, torcedores e
jornalistas. No entanto, uma passagem de bastão só deve acontecer no final da
temporada. Até lá, o presidente continuará tendo ao lado o diretor-geral, Fred
Luz e o diretor executivo de futebol, Rodrigo Caetano, para comandar o
principal departamento do clube.
Por
hora, está descartada a mudança de algum vice-presidente para a pasta. Daniel
Orlean continua à frente do marketing e, recentemente, foi alçado ao posto de
líder do planejamento estratégico que a instituição está desenvolvendo; o vice
de patrimônio, Alexandre Wrobel, continua atrás do antigo sonho flamenguista:
um estádio próprio; já o vice de finanças, Cláudio Pracownick não mudará de
cargo, uma vez que faz um belo trabalho com as finanças rubro-negras.

COMENTÁRIOS: