Berrío cai nas graças da torcida do Flamengo

45
Berrio, do Flamengo – Foto: Staff Images

O DIA:
Com a finta desconcertante antes da assistência a Diego, Berrío deixou para
trás o lateral-esquerdo Victor Luis e parte da desconfiança da torcida. Ao
mudar de direção com um drible da vaca, num corte de letra, o atacante pode ter
alterado o rumo de sua trajetória no Flamengo. O colombiano, pela ponta
direita, no Maracanã, mesma faixa de campo que consagrou Joel, pelo Fla, e
Garrincha, com a camisa do Botafogo, criou a jogada que resolveu o jogo da
última quarta-feira e ganhou de vez espaço no coração da nação rubro-negra.

No
mesmo Maracanã, Berrío terá a chance de fazer história novamente. O Flamengo
quer enfrentar o Cruzeiro, pelo jogo de ida da decisão, em 7 de setembro, no
estádio. A partida de volta será no Mineirão, 20 dias depois. O gol fora não é
critério de desempate.
Claro
que Berrío está longe de ocupar um lugar perto de monstros sagrados como Joel,
que fez 116 gols em 414 jogos pelo Flamengo, entre 1951 e 1963. Mas, ao menos,
começa a justificar os R$ 11 milhões investidos em sua contratação. Campeão da
Libertadores de 2016 pelo Atlético Nacional, à época comandado por Reinaldo
Rueda, o atacante chegou ao Flamengo este ano sob grande expectativa.
Apesar
da velocidade de Berrío, que provoca comparações com o jamaicano Usain Bolt, a
adaptação ao futebol brasileiro não se mostra um processo rápido. Nas 35
partidas que já fez pelo Flamengo, o atacante só foi titular em 16 e atuou por
90 minutos somente duas vezes. Por duas oportunidades, ficou no banco sem ser
utilizado por Zé Ricardo. Agora, com Rueda, começou duas das três partidas que
o time disputou.

COMENTÁRIOS: