Carpegiani aprova técnicos estrangeiros no Brasil: “Clube que decide”

26
Foto: Reprodução

SPORTV:
Uma polêmica movimentou a preparação de Botafogo e Flamengo antes do início do
duelo pela semifinal da Copa do Brasil. No dia em que o Rubro-Negro apresentou
oficialmente o colombiano Reinaldo Rueda, o treinador Jair Ventura questionou a
contratação de técnicos estrangeiros, indicando que isso poderia prejudicar o
mercado para os brasileiros. Alguns treinadores, como Vanderlei Luxemburgo,
apoiaram a posição de Jair. Com a experiência de ter trabalhado no exterior,
Paulo César Carpegiani defende a vinda de profissionais do exterior para o
futebol nacional.

– Eu
treinei a seleção paraguaia, a seleção do Kuwait. Tem que ser bem aceito. São
escolhas que são feitas. Os profissionais competentes da direção (de um clube)
escolhem o treinador. É uma coisa muito pessoal. Vejo a possibilidade dele
(Rueda) fazer um bom trabalho. O Flamengo possui jogadores muito bons. É muito
bem aceito (vinda de treinadores do exterior). Existe essa liberdade e tem que
ser dada essa oportunidade aos estrangeiros também – afirmou, em entrevista ao
SporTV.
Após
deixar o Flamengo em 1983, com o título mundial de clubes de 81 no currículo,
Carpegiani foi trabalhar no Oriente Médio, dirigindo o Al-Nassr (Arábia
Saudita). No início da década de 90, voltou a atuar fora do Brasil, trabalhando
no Cerro Porteño (Paraguai) e Barcelona de Guaiaquil (Equador). O trabalho no
Cerro, em duas passagens, o fizeram ser convidado para comandar a seleção do
Paraguai em 1996. E conseguiu classificar o país para a Copa do Mundo de 98, na
França. Em 2003, voltou a trabalhar fora do país, dirigindo a seleção do
Kuwait.

COMENTÁRIOS: