Como Guerrero se recuperou tão rápido no Flamengo

22
Guerrero durante Flamengo x Botafogo – Foto: Gilvan de Souza

GLOBO
ESPORTE:
No último dia 2, durante a derrota por 4 a 2 para o Santos, Guerrero
sofreu lesão de grau 2 na coxa direita. Ciente de que não se tratava de
problema simples, o departamento médico traçou programação especial para o
atleta com o intuito de colocá-lo em condições de atuar em pelo menos um dos
jogos da semifinal da Copa do Brasil.

Missão
cumprida, e o camisa 9 foi peça-chave na vitória sobre o Botafogo (1 a 0).
Elogiado pelo peruano após o duelo, o chefe do DM, Márcio Tannure, explicou em
tópicos como ele e sua equipe conseguiram dar condições para Guerrero atuar sem
dores após o atleta recuperar-se de lesão que o limitava a chutar e dar piques
com desenvoltura.
Ter
Guerrero disponível para atuar 90 minutos estava nos planos do Flamengo.
Tannure elogiou o profissionalismo do jogador e listou etapas do processo de
recuperação. Confira abaixo:
1) PROGRAMAÇÃO
Primeiro
fizemos uma programação da fisioterapia, do controle da lesão, para depois
começar a aliviar a dor e iniciar um trabalho de cárdio. Depois ele iniciou uma
transição gradual, no campo, a fim de fazer os movimentos exigidos no campo
para irmos testando a aptidão dele.
Como
sempre falamos, não gostamos de conceder prazos, mas sim etapas. Posso afirmar
que ele conseguiu realizar todas as etapas num tempo mais curto do que
poderíamos esperar. O profissionalismo dele foi fundamental, indo para o CT fim
de semana, tratando em tempo integral.
Além
disso, nada seria possível sem o excelente serviço prestado pelos nossos
fisioterapeutas Fred Manhães, Mário Peixoto e Walteriano, dos médicos Dr.
Gustavo Caldeira, Dr. Serafim (Borges) e João Marcelo e do preparador físico
Roberto Oliveira, o Betinho.
2) PENSAMENTO NOS 90 MINUTOS
Quando
um atleta nosso está na fisioterapia, trabalhamos a parte aeróbica e cárdio do
atleta para ele não perder muita performance, não ficar completamente parado.
Foi o que aconteceu com o Guerrero. Nossos profissionais do Centro de
Excelência em Performance não só o recuperaram 100% como o deixaram em
condições de atuar os 90 minutos logo no primeiro jogo após o retorno.
Então,
durante a recuperação da lesão na coxa, fazíamos, por exemplo, trabalhos na
piscina, que tira o impacto. Ele exercitava os membros superiores na academia,
entre outras coisas. Enfim, deu o resultado esperado.
3) PROFISSIONALISMO DE GUERRERO
A
ajuda externa que tivemos foi do próprio atleta. No Flamengo, hoje, o elenco
encontra tudo que precisa, com profissionais capacitados para a melhor
recuperação. E também sempre orientamos e estimulamos os atletas para que
continuem com os mesmos hábitos fora do CT.
O
Guerrero é extremamente profissional, fez por onde, seguiu o que foi programado
e o obteve o êxito no final.
4) EXAMES E TRANSIÇÃO COM PREPARADOR
BETINHO
O
trabalho de recuperação foi baseado nos exames clínicos e funcionais, junto com
os de imagem, que tínhamos do atleta. A partir daí, nós médicos, os
preparadores físicos, os fisioterapeutas e o consultor da Exos conversamos na
nossa reunião diária e traçamos um plano de retorno gradual em função da lesão
dele.
Depois,
um de transição (para o campo), que é a parte realizada após a fisioterapia,
com o preparador físico Betinho, responsável por esta importante função, que
serve para diminuir a incidência de retorno da lesão, fato que não ocorre há
muito tempo no clube.

COMENTÁRIOS: