Emboscada para torcida do Flamengo tem participação de vascaínos

26
(Foto: Reprodução

GLOBO
ESPORTE
: A emboscada arquitetada por um grupo de torcedores do Botafogo em
Madureira para interceptar torcedores do Flamengo que voltavam do Estádio
Nilton Santos – que terminou com 49 detidos – pode ter sido feita em parceria
com torcedores da mesma “família” de organizada do Vasco da qual
faria parte Davi Rocha Lopes, baleado e morto em São Januário.

A
emboscada na madrugada de quarta para quinta-feira foi frustrada pelo
Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), que faz a escolta de
organizadas e monitora redes sociais para vigiar membros dessa facções e
possíveis confrontos marcados pela internet. O Gepe já tem indícios de que
membros da Fúria Jovem do Botafogo trabalharam em conjunto com integrantes da
9ª Família da Força Jovem do Vasco.

Recebi “prints”, mas estamos apurando, olhando com calma. Eu tenho de
individualizar cada um, olhar, ver se consigo verificar o histórico, se tem
qualquer ato de violência, para verificar se realmente foi uma ação orquestrada
da torcida ou foram um ou dois membros perdidos que estavam lá junto. Para não
cometer injustiças – disse o Major Silvio Luiz, comandante do Gepe.
Como o
caso está ainda sob investigação, o nome do autor do post e sua imagem foram
preservados. Em uma imagem de publicação em perfil de torcedor do Botafogo que
possui diversas fotos com roupas da organizada, ele agradece à facção vascaína
pelo apoio. Não foi feita qualquer alteração ou correção de erros no trecho
reproduzido a seguir:
“Eu
e todos do quinto canil zona oeste gostaria de agradecer os amigos da força
jovem do Vasco Nona Família por ter fechado com a gente da fúria jovem do
Botafogo quinto canil zona oeste no jogo de ontem larga suas famílias filhos
pra está no jogo nosso essa nossa amizade de anos nunca vai acabar obrigado a
todos Vasco x Fluminense estaremos juntos. Ass: Boladinho Fúria Jovem do
Botafogo”.
As
duas facções são notoriamente aliadas. Em clássicos entre Vasco e Botafogo,
ambas as torcidas circulam sem que a polícia precise isolar. Silvio Luiz
confirmou ter conhecimento das postagens em redes sociais que indicam o
envolvimento de integrantes da organizada do Vasco. Ele, contudo, disse que
ainda investiga o histórico de dados dos usuários envolvidos para chegar a uma
conclusão mais sólida.
– O
serviço de inteligência do Gepe recebeu uma informação de que haveria
torcedores do Botafogo em alguma estação aguardando a torcida do Flamengo sair,
o nosso pessoal conseguiu identificar que era Madureira. A gente mandou as
equipes, havia mais de 200 torcedores do Botafogo, em sua maioria da Fúria.
Para poder dar um ataque na Raça do Flamengo. Isso, a gente segurando a torcida
mais de uma hora depois do jogo. Ou seja, foi uma coisa orquestrada, na
confusão teve policial machucado, levou uma pedrada ou algo na cabeça, teve um
corte, e efetuamos as prisões desses 49. A ocorrência foi duas e pouco da
manhã.
Na
partida entre Vasco e Flamengo, em São Januário, a vitória do rival no estádio
cruz-maltino desencadeou uma confusão generalizada que terminou em confronto
entre torcedores e policiais do lado de fora. Um torcedor vascaíno, Davi Rocha
Lopes, que postava com orgulho sua ligação com a organizada do clube em redes
sociais, acabou baleado e morto.
Antes,
também neste ano, um torcedor do Botafogo, Diego Silva dos Santos, foi morto em
confronto com torcedores rubro-negros no entorno do Estádio Nilton Santos por
perfuração com objeto cortante.

COMENTÁRIOS: