Felipe Melo poderia levar o Flamengo tanto ao céu quanto ao inferno

32
Diego e Felipe Melo na Juventus – Foto: ANDREAS SOLARO/AFP/Getty Images

GOAL: Por
Tauan Ambrosio 

Nunca
foi tão fácil para o Flamengo ter Felipe Melo. Ao menos foram essas as palavras
do meio-campista, em áudio que rodou os smartphones Brasil afora. Mas não é bem
assim, ao menos por enquanto.
E por
dois motivos específicos.
1-
Embora não conte mais com o jogador, o Palmeiras diz que não vai aceitar uma
proposta que não seja vantajosa ao clube.
2- O
passado recente de rusgas entre Felipe e parte da diretoria rubro-negra.
Antes
de assinar até 2019 com o clube do Allianz Parque, e nos seus primeiros
momentos como jogador alviverde, Felipe Melo foi direto na canela
[metaforicamente falando, é claro] do vice-presidente de comunicação do
Flamengo, Antonio Tabet.
O
dirigente, que também é um dos principais humoristas do país, falou sério na
hora de afirmar que não gostaria de ver um jogador como o ‘Pitbull’ vestindo a
camisa rubro-negra. A troca de farpas com o poder da Gávea seguiu pouco depois,
quando o atleta teve rusgas com o VP de marketing do clube, Daniel Orleans.
Como a
polêmica é recente, ainda existe rejeição à sua chegada em determinados setores
do clube carioca. Ainda que tenha falado, no tal áudio, que estaria em
conversas com o Flamengo, logo depois Felipe desmentiu. O mesmo fez Rodrigo
Caetano, gerente de futebol do Rubro-Negro, ao comentar a possibilidade de
trazer o meio-campista.
A
contratação de Felipe Melo é improvável, mas não impossível.
Se
existem cinco verdades sobre o agora ex-jogador do Palmeiras, elas são: ele é
polêmico; fala o que pensa; não se esconde em campo; sabe jogar bola; é
flamenguista assumido.
Em um
primeiro momento, o elo de maior aproximação entre Felipe Melo e o Flamengo é
exatamente a sua identificação como rubro-negro. Isso deixa parte da torcida,
que o tratou como traidor quando optou pelo Palmeiras, animada com a
possibilidade de vê-lo em campo.
Até
porque nenhum meio-campista convenceu a grande maioria dos torcedores em 2017.
Se Rômulo teve pouquíssimas chances, Willian Arão e Cuéllar mostraram
irregularidade e Márcio Araújo é o bode expiatório do time.
Felipe
Melo pode ser a peça que faltava para deixar o meio-campo rubro-negro completo.
Na média, ele ganha mais divididas e rouba mais bolas em relação a Arão,
Cuéllar e Márcio Araújo. E também leva maior perigo em suas chegadas ao ataque,
em relação aos últimos dois citados. Proteção à zaga, recuperação da posse e
boa chegada na frente: tudo o que se pede de um jogador de sua função no
futebol moderno, exceção feita ao excesso de cartões recebidos.
O
problema é que existe uma contrapartida. É o tal lado polêmico, de falar sempre
o que pensa. Felipe Melo é explosivo, e pode acabar com a união de um grupo
que, mesmo recebendo inúmeras críticas, segue fechado.
Com o
seu futebol, Felipe Melo poderia levar o Flamengo ao céu. Mas também pode ser o
pivô de crises, tornando o ambiente do grupo um inferno. Não há meio-termo na
avaliação sobre o que a sua chegada ao time que o revelou poderia representar.
Exatamente porque o meio-termo não existe quando o assunto é Felipe Melo.

COMENTÁRIOS: