Gilmar Ferreira vê “atuação horrorosa” do Flamengo

26
Réver e Leonardo Silva, zagueiros de Flamengo e Atlético-MG – Foto: Bruno Cantini

GILMAR
FERREIRA
: Rodada com destaque para o Atlético-PR, que goleou o Bahia em casa
por 4 a 1 (quarta vitória consecutiva de Fabiano Soares) e tirou o Flamengo do
G-6.

Se o
Corinthians vencer a Chapecoense na quarta-feira, no encerramento da vigésima,
a diferença entre o líder e o melhor time carioca vai para 21 pontos.
Poucos
foram os clubes que souberam executar com eficiência o planejamento exigido
pela nova configuração do calendário da CONMEBOL.
E a
classificação mostra que, de maneira geral, as melhores performances são dos
trabalhos mais antigos.
Enfim…
olho vivo no Vasco que está a três pontos do Z-4…
ATLÉTICO-MG 2 x 0 FLAMENGO.
Atuação
desastrosa, com jogadores desconcentrados e sem estratégia de jogo.
Não
foi o Flamengo de Zé Ricardo, não teve o estilo de Jayme de Almeida e espera-se
que não seja o de Reinaldo Rueda.
O
Atlético-MG, mesmo sem padrão elogiável, aproveitou a descaracterização
rubro-negra e fez o dever sem correr riscos.
Everton
Ribeiro não cumpriu o papel de Diego, Vizeu não teve a movimentação de Guerrero
e a dupla Berrío e Geuvânio não viu a bola.
VASCO 1 x 1 PALMEIRAS.
Desorganizado,
sem ligação entre meio-campo e ataque, o time de Mílton Mendes não fez uma boa
partida.
Melhorou
um pouco no segundo-tempo depois da entrada de Nenê.
Mesmo
assim não se pode dizer que fora algo substancial para um time que precisava
voltar a vencer como mandante.
A
saída de bola continuou deficiente e os contragolpes do Palmeiras mostravam a
insegurança do sistema defensivo.
Não há
padrão de jogo, e o quarto jogo sem vitória acendeu a lâmpada de alerta.
O gol
salvador do pontinho importante foi espécie de prêmio à perseverança.
BOTAFOGO 1 x 0 GRÊMIO.
Já era
hora de o time alvinegro voltar a vencer e bom que tenha sido como mandante.
E
justo no campo onde na quarta-feira começa a disputa por vaga nas finais da
Copa do Brasil.
Leandrinho
reapareceu como peça importante, Leo Valencia começa a ganhar espaço e Arnaldo
surpreende pela ofensividade.
Ou
seja: formação alternativa, com Brenner e Guilherme no ataque, e sistema de
jogo diferente _ um 4-4-2 disfarçado.
Vitória
pôs o clube num ponto mais confortável da tabela.
SANTOS x FLUMINENSE.
Não é
fácil vencer o time de Levir Culpi e Abel Braga conhece os números que dão ao
adversário o favoritismo do confronto desta noite, no Pacaembu.
Está
na terceira colocação, não perde há doze partidas (nove delas no Brasileiro) e
tem só uma derrota nas últimas quinze rodadas da Série A.
Para
desbanca-lo, no entanto, o técnico tricolor confia na aceleração de jogo de
Wendel.
E nas
bolas longas de Scarpa para Wellington Silva.
E
também no faro artilheiro de Henrique Dourado.

COMENTÁRIOS: