“Não aceito que digam que quebrei o Zico”, diz ex-jogador

30
Zico – Foto: Divulgação

FOX
SPORTS
: Há pouco mais de 30 anos, no dia 29 agosto de 1985, pleno Maracanã, uma
entrada desleal de carrinho quase colocou a carreira de Zico em jogo. Naquela
ocasião, o camisa 10 do Flamengo jogava contra o Bangu, pelo Campeonato
Carioca, até que teve uma arrancada do meio-campo interrompida pelo zagueiro do
time adversário Márcio Nunes, que foi com força em direção às suas duas pernas.
No fim das contas, o destaque do Rubro-Negro precisou passar por uma cirurgia e
voltou aos gramados apenas no ano seguinte.

Em
entrevista ao Portal UOL, o responsável pelo carrinho lembrou do episódio e
declarou:
“Não
aceita que digam que ele foi o responsável por quebrar o Zico”, uma vez que o
camisa 10 da Gávea sempre foi um dos seus grandes ídolos. O defensor ainda
esclareceu que o lance não foi intencional e que sofreu tanto quanto Zico, já
que teve a carreira marcada por essa entrada violenta.
“Eu
falo de coração: eu sofri muito mais que ele; eu sofri muito, mas muito mesmo,
você não imagina o quanto eu sofri…Aquilo foi um acidente, uma dividida…
Aconteceu. Não foi assim: ‘ah, quando aquele cara passar aqui eu vou pegar
ele’. Não, não existiu isso…Eu não aceito isso, falar que eu quebrei o cara”,
afirmou Márcio, que teve curta carreira, entre 1982 e 1988, onde defendeu
apenas o Bangu e o Bonsucesso.
Aos 53
anos, o ex-zagueiro ainda lembra que assim como Zico saiu machucado de campo,
ele também poderia ter tido o mesmo destino. 

“Como ele se machucou, o Zico
poderia ter quebrado a minha perna em cinco pedaços. É isso que eu quero dizer.
Foi uma dividida. Hoje eu vejo jogadores que vão por trás e pegam mesmo, e eu
nunca fiz isso na minha vida, nunca fui mau caráter”, recordou o defensor, que
apesar de não ter levado o cartão vermelho pelo lance, acabou expulso da
partida logo em seguida, após levar pisão de Mozer e partir para cima do
Rubro-Negro.

Após o
ocorrido, os dois jogadores voltaram a se encontrar em outras duas
oportunidades: em 1987, dois anos após o lance, em um outro jogo entre Flamengo
x Bangu, e mais recentemente em 2013, quando a jornalista do jornal O Dia
Marluci Martins promoveu um reencontro entre os jogadores, que têm versões
diferentes dessa segunda ocasião.
“Deu
aquele friozinho na barriga, foi muito emocionante. As pessoas que estavam ao
lado ficaram emocionadas pelo meu gesto, foi um dia extraordinário para mim.
Aquilo foi tudo para mim. Ele disse: ‘eu te perdoo’. Me abraçou. Ele me
conhecia. O Zico é verdadeiro, ele fala a verdade, foi sincero comigo”,
declarou Mário Santos. Já Zico, negou que o ex-zagueiro tenha pedido desculpas.
“Em
nenhum momento falou ou pediu desculpas. Você pode confirmar isso com a Marluci
Martins, do O Dia, hoje ela está no Extra. Ela me chamou para uma coisa e
acabou não sendo nada daquilo que ela esperava”, completou o
ex-Rubro-Negro, também em entrevista ao UOL.

COMENTÁRIOS: