O caminho certo e a Primeira Liga

49
Willian Arão comemorando gol pelo Flamengo- Foto: Buda Mendes/Getty Images

KLEBER
LEITE
: Bom jogo e, vitória com autoridade. A escalação do Flamengo era uma
expectativa pra mim. Com todos à disposição, estava curioso para saber o time
que entraria em campo. E, sobrou exatamente para o jogador mais caro, o que
representou o maior investimento. Éverton Ribeiro jogou pouco mais do que cinco
minutos e, só entrou porque Diego pregou.

Isto é
uma crítica? Claro que não! Apenas uma constatação pouco comum. Com o embalo de
Berrío após a linda jogada que classificou o Flamengo para a final da Copa do
Brasil, realmente ficava difícil não começar com ele. A única possibilidade de
Éverton Ribeiro começar, seria deslocar Éverton para a lateral, e Éverton
Ribeiro ocupando a meia esquerda.
Rueda
preferiu não complicar e, escalou com simplicidade. O time correspondeu,
jogando bem o tempo todo. Defesa, atenta. Meio, pegador, dinâmico e criativo. Ataque,
como deve ser, aporrinhando a defesa adversária o tempo todo.
Os
gols foram de Diego e Arão. Guerrero não marcou, mas foi destaque. Jogou muito!
Continuamos
no pelotão da frente e, com certeza, assim terminaremos este Campeonato
Brasileiro.
Com o
coração do torcedor totalmente ocupado pela decisão da Copa do Brasil, vamos
nesta quarta-feira até Cariacica, jogar contra o Paraná, pela “Primeira Liga”…
e, este é o tipo de reclamação que os clubes não podem fazer com relação ao
calendário. Esta ideia infeliz, partiu deles. Como diria minha avó Corina,
“quem pariu Mateus, que o embale”…
Brincadeira
à parte, a esperança de que Rueda poupe seus jogadores importantes, livrando-os
de desgaste e possível contusão, em jogo que não vale nada.
Aliás,
a sequência será braba. Dia sete, decisão da Copa do Brasil e dia 10, jogo
contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro.
Recebi
a informação de que Reinaldo Rueda, na entrevista coletiva, deu a entender que
Diego e Éverton Ribeiro não podem jogar juntos.
Depoimento,
a meu conceito, se verdadeiro, precipitado. Bom não esquecer que Berrío – neste
momento, titular absoluto – no jogo contra o Botafogo ia ser substituído quando
realizou a linda jogada e caiu nas graças da galera, e do treinador.
Ao simpático
Rueda, lembro uma máxima pertinente ao momento. “Muita calma. Pato novo, não dá
mergulho fundo…”
E o
Corinthians, hein? No jogo do primeiro, contra o último colocado, na casa do
número 1 na tabela, a zebra pintou. Definitivamente, o futebol praticado no
Brasil está nivelado por baixo…

COMENTÁRIOS: