O Zé traiu o Zé

47
Zé Ricardo, técnico do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

LANCE:
Ao ceder às pressões dos que o criticavam, Zé Ricardo deu os argumentos que
precisavam os que o queriam fora do Flamengo. Com um só volante – e Márcio
Araújo no banco – abrindo mão do toque de bola e do jogo cadenciado, o rubro
negro dessa vez não perdeu jogando bem. Como varias vezes aconteceu em outros
maus resultados do time nessa temporada. O Flamengo perdeu com uma atuação
pífia, irreconhecível, coroada pelas falhas individuais de Willian Aarão num
corte bizarro para Yago marcar, e de Rever, enganado pelo pico da.bola que
acabou no pênalti que Neílton converteu.

Teimosia
não é uma virtude – muitos treinadores se perdem ao insistir no
“ininsitivel”. Mas abrir a mão de convicções, como fez ontem o
treinador do Flamengo, talvez mais focado na sua sobrevivência do que no que
considera o melhor para o time, é um erro grave – e o castigo neste caso foi
cruel. Não teve perdão, mesmo para os que o defendiam, como o presidente do
clube. A derrota do Flamengo, dessa vez, teve um culpado: o Zé Ricardo que
traiu os princípios de Zé Ricardo.
Efetivado
em julho do ano passado, Zé Ricardo comandou o time da Gávea em 89 partidas,
sendo 47 vitórias 25 empates e 17 derrotas, quatro delas no neste Brasileirão.
Um aproveitamento superior a 62%. Zé era o técnico há mais tempo no cargo da
Série A.
O
sonho de consumo dos Rubro-Negros agora é Reinaldo Rueda, campeão da
Libertadores-16 com o Atlético Nacional. Pode ser um bom caminho para o
Rubro-Negro. Não há no Brasil, ao menos desempregado, alguém que encha os olhos
do torcedor. Roger e Eduardo Baptista, os mais destacados, têm perfil muito
semelhante ao de Zé Ricardo. E lhes falta experiência, outra crítica comum ao
técnico demitido. Enquanto isso, outra vez, Jaime de Almeida deve comandar o
time interinamente na Sul-Americana.

COMENTÁRIOS: