Protestos da torcida do Flamengo deixa a PM em alerta

74
Polícia Militar contendo torcedores do Flamengo durante protesto no CT do Ninho do Urubu – Foto: Igor Rodrigues

TERRA:
nova derrota do Flamengo para o Santos, de virada, na noite de quarta-feira (3
a 2, na Vila Belmiro), levou torcedores a picharem o muro do Centro de
Treinamento da equipe carioca, o Ninho do Urubu, em Vargem Grande, zona oeste
da cidade. O fato não é considerado isolado pela Polícia Militar, que já havia
detectado focos de insatisfação entre rubro-negros contrariados com a campanha
irregular do time em 2017. A PM trabalha agora para evitar que um novo tropeço
do Fla no próximo jogo – domingo, contra o Vitória – provoque distúrbios.

A
partida será realizada às 11 horas, na Arena do Urubu, localizada num bairro da
zona norte carioca, a Ilha do Governador. O estádio, que pertence à Portuguesa,
foi adaptado e ampliado recentemente para receber jogos do Flamengo. A
proximidade da torcida com o campo, nas laterais, é inferior a quatro metros e
separada apenas por uma cerca de pouco mais de um metro.
A
tarefa de impedir uma eventual invasão de torcedores na Arena do Urubu cabe,
primeiro, aos seguranças particulares contratados pelo Flamengo. A PM só
intervém se for solicitada por eles ou se a situação fugir ao controle. Diante
do novo revés do Rubro-Negro no Brasileiro, a PM estuda ampliar o efetivo para
o confronto do Fla com o Vitória.
O time
baiano venceu na rodada (3 a 1 na Ponte Preta, em casa), mas continua na zona
de rebaixamento do Brasileiro, com 10 derrotas em 18 jogos. Isso torna o
Flamengo mais favorito ainda, embora o time do técnico Zé Ricardo não tenha
convencido na temporada. Essa expectativa entre os torcedores do Fla de que
ganhar do Vitória é uma obrigação sugere que hostilidades contra a equipe e seu
treinador podem surgir no decorrer da partida, dependendo do resultado e do
modo de o time atuar.

COMENTÁRIOS: