Réver tem o pior aproveitamento entre os jogadores do Flamengo

69
Réver e Leonardo Silva, zagueiros de Flamengo e Atlético-MG – Foto: Bruno Cantini

ESPN: Todo
time tem um jogador que carrega o rótulo de “pé frio” para não usar
um termo pior. São atletas que não necessariamente são os piores da equipe, mas
têm o azar de estarem em campo justamente quando o desempenho do time cai. Isso
ocorre principalmente em torneios longos, caso do Campeonato Brasileiro. 

Para
citar o principal exemplo basta olhar o Atlético-MG. O time tem aproveitamento
43% dos pontos na competição, mas quando o meia-atacante venezuelano Rómulo
Otero está em campo o rendimento do time é de 28%.
O
venezuelano jogou 12 partidas do Brasileiro, nas quais o clube mineiro venceu
apenas duas, empatou quatro e perdeu seis. Ou seja, apenas dez pontos dos 26 do
time.
Terceiro
colocado, o Santos tem 60% de aproveitamento, mas a história muda em jogos com
a presença do lateral direito Victor Ferraz. O rendimento da equipe com ele é
de 44% – 12 jogos, quatro jogos, quatro empates e quatro derrotas.
Michel
Bastos é o “pé frio” do Palmeiras. O lateral/meia jogou 11 partidas
na Série A, com o time palmeirense tendo vencido três, empatado outras três e
perdido cinco. Ou seja, 36% de aproveitamento. No geral, a equipe tem 55% e
ocupa a quarta colocação.
Os
números citados são baseados nos dados do Footstats, considerando os 15
jogadores com mais jogos entre os elencos de cada um dos 20 participantes da
Série A. E, como dito no início do texto, toda equipe tem um “pé
frio” no grupo.

Pegando os extremos na tabela.
O
líder e invicto Corinthians tem 88% de aproveitamento dos pontos, mas tem no
lateral direito Fágner e no meia Marquinhas Gabriel os jogadores que mais
derrubam o aproveitamento da equipe. Com eles em campo, o desempenho é de 78%
(que, ao menos, é maior do que os demais 19 concorrentes).
Já o
lanterna Atlético-GO tem meros 25% de aproveitamento. Marcão é o “pé
frio” no elenco. Com ele em campo, foram apenas 12% dos pontos.
Há casos curiosos.
No
Flamengo, apesar da bronca de muitos torcedores com o volante Márcio Araújo, o
desempenho do time é menor nos jogos com o zagueiro Réver. Os 48% caem para 39%
só considerando os jogos em que ele esteve em campo. Foram quatro vitórias,
oito empates e cinco derrotas.
No São
Paulo, apesar do alvo ser os laterais Bruno e Buffarini, os números são piores
quando o lateral esquerdo Júnior Tavares está em campo. Cai de 36% para 27%.
São três vitórias, três empates e nove derrotas – 12 pontos dos 22 que o time
fez.

COMENTÁRIOS: