Veja declarações que reforçam novo estilo do Flamengo de Rueda

20
Rueda, técnico do Flamengo – Foto: Buda Mendes/Getty Images

GLOBO
ESPORTE
: São apenas 11 dias em solo brasileiro – no período, Reinaldo Rueda
assistiu de camarote a derrota para o Atlético-MG (2 a 0), que serviu para
tirar lições valiosas, e mais três partidas – vitórias contra o Atlético-GO (2
a 0) e Botafogo (1 a 0) e um empate com o Glorioso.

Neste
início de trabalho, em meio a partidas decisivas, o Flamengo do colombiano se
ainda não foi tão exigido mostrou preocupação em ser equipe mais equilibrada.
Foram 270 minutos sem sofrer gol – o que não acontecia desde a sequência com
Bahia, Santos e São Paulo, no fim de junho.
Equilíbrio
é a palavra-chave e está no discurso dos jogadores. As atenções de Rueda se
voltaram muito mais para o campo defensivo nesta breve chegada ao Flamengo.
Seja nas conversas com os laterais, com os volantes, no diálogo até com
zagueiros reservas. O “profe” começa a montar o seu time de trás para
frente.
Para
isso, contou com muita informação da comissão técnica, muitos vídeos e
estatísticas para se debruçar no período fora das quatro linhas.

Contei com a infraestrutura que tem o Flamengo, com toda a parte administrativa
e do departamento de inteligência, que nos deu grandes ferramentas, informações
precisas e rápidas. Já vínhamos observando os jogos do Flamengo, contando com
Berrío, que eu conhecia do Nacional, com Cuéllar, que é colombiano. É um
trabalho que o clube vem desenvolvendo há muitos anos para se fortalecer para
metas grandes – definiu Rueda.
Em
cinco depoimentos de dentro do Flamengo, o GloboEsporte.com conta como o
técnico arrumou a casa e dissipou a crise da Gávea.
Reinaldo Rueda

Sabíamos do momento que atravessava a equipe. Estávamos no jogo anterior,
contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte. Fizemos uma partida que não
corresponde à realidade da equipe, mas fizemos algumas recomendações de ordem
tática e de equipe, buscando ganhar confiança, recuperar essa autoestima.
Partindo dessa ordem, vencer as partidas. Tudo passou por aí. Por essa ordem de
segurança defensiva que nos dá a possibilidade de vencer os jogos
Rodinei

Rueda já disse para eu ficar mais (atrás) nesses jogos, porque a gente sabe que
o Berrío ataca muito. Pode ver que mudou a minha característica que é de muito
ataque, eu estou mais marcando, segurando um pouco. E como eu disse, estamos há
três partidas sem sofrer gol. Agora é continuar trabalhando firme para buscar
esse título ai da Copa do Brasil.
Guerrero
– São
técnicos diferentes com certeza (Zé e Rueda). Os dois têm grande qualidade,
respeito muito eles. O professor tem outra maneira de pensar, armar o time.
Então, agora estamos se adaptando ao que o professor está pedindo para nós.
Acho que o time está sendo mais paciente, levando com mais calma, mais
tranquilidade.
Cuéllar

Desde que o Rueda chegou ele falou que a gente tinha que saber o momento que a
gente tava, eu acho que não era o melhor, a gente foi consciente disso e tentou
melhorar na parte defensiva. Porque a gente estava sofrendo muitos gols. Eu
acho que esse é o caminho certo, daqui para frente, muita ordem na parte de
trás, sabemos que na frente a qualquer momento, Guerrero, Everton, Diego como
foi hoje, o Berrío, vão decidir, então a gente tem que estar fechado e não
sofrer o gol.
Juan

Agora tem menos espaço para cobrir, né. Talvez a gente não suba com tantos
jogadores para o ataque, a gente não chega com número grande como antes, não
envolve o adversário como antes. Mas estamos mais consistentes e preservados lá
atrás. Até porque do meio para frente temos jogadores capazes de decidir em um
momento.

COMENTÁRIOS: