Velocidade de Vinicius abre o caminho para vitória do Flamengo

39
Vinicius Jr, do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

GLOBO
ESPORTE:
bem verdade que era um Flamengo diferente. Dificilmente a formação que
venceu o Atlético-GO, por 2 a 0, na Ilha do Urubu, voltará a se repetir na
temporada. Mesmo assim, o triunfo sobre o lanterna no Brasileirão serviu para
Reinaldo Rueda observar opções dentro de seu elenco.

Apesar
de não conseguir encontrar espaços facilmente e abusar do jogo aéreo no
primeiro tempo, o Rubro-Negro conseguiu abrir o caminho para a vitória na
velocidade da joia Vinicius Júnior, que marcou duas vezes.
Com o
triunfo, a equipe volta a vencer no Brasileirão após quatro rodadas. O Flamengo
chegou aos 32 pontos e sobe para a quinta posição, ainda com a rodada em
andamento. A opção de poupar jogadores neste sábado foi de olho na semifinal da
Copa do Brasil, nesta quarta-feira, diante do Botafogo.
COMO FOI O JOGO?
No ritmo de Vinicius
Em uma
nova chance no time titular, Vinicius chamou o jogo o tempo todo. Utilizou
algumas vezes de seus dribles característicos, pressionou a saída de bola e deu
trabalho para a marcação do Atlético-GO no lado esquerdo do ataque.
No
segundo tempo, manteve o ritmo e fez o gol que abriu o caminho para a vitória.
Pelo mesmo lado esquerdo do ataque, teve fôlego para acompanhar passe esticado
por Márcio Araújo, adiantou bem para a pena esquerda, arrancou e bateu bonito
de canhota, abrindo o marcador.
Mantendo
a velocidade, Vinicius ainda marcou o segundo gol rubro-negro. Diego, que
entrou no segundo tempo, passou para Lucas Paquetá, que deu belo passe para o
camisa 20 entrar na área, tirar do goleiro e marcar novamente.
Paquetá na referência
Sem
Guerrero (se recuperando de lesão) e Vizeu (poupado, de olho na Copa do
Brasil), a opção de Rueda para referência de ataque foi Lucas Paquetá. O
camisa, 39, meia de ofício, se apresentava na área assim como se deslocava
muito para tentar buscar as jogadas. Esforçado, trabalhou bem com e sem a bola.
Mas foi fazendo ”sua especialidade” que protagonizou seu melhor lance no
jogo, após belo passe para Vinicius Júnior no segundo gol.
Vaz na lateral no primeiro tempo
A
principal novidade na escalação inicial de Reinaldo Rueda não trouxe problemas
nos primeiros 45 minutos. Rafael Vaz atuou no primeiro tempo na
lateral-esquerda e conseguiu tanto ajudar a defesa, quanto aparecer algumas
vezes no ataque. Antes de ser substituído por Renê no intervalo, acertou 25
passes, roubou duas bolas e cruzou três vezes na área.
Lado direito deixou a desejar
Na
ponta direita, Geuvânio ficou muito preso na primeira etapa. Em nova
oportunidade entre os titulares, o atacante não conseguiu criar boas
oportunidades na dobradinha com Pará.
Chuveirinho sem emoção
O
Flamengo de Rueda voltou a repetir os problemas do time de Zé Ricardo na
primeira etapa. Apesar da posse de bola, enfrentou dificuldades para furar a
retranca adversária, encontrar espaço e transformar domínio em resultado. Por
isso, voltou a apresentar o excesso de bolas levantadas na área.
Fla pode perder Renê
A
opção do treinador ao colocar Renê no time no intervalo pode prejudicar a
escalação do Flamengo para quarta-feira, quando encara a semifinal da Copa do
Brasil, diante do Botafogo. Em uma dividida, o lateral levou a pior e sofreu
uma entorse no tornozelo direito. Ele tentou continuar no jogo, mas precisou
ser substituído.

COMENTÁRIOS: