Após dois anos, Luxemburgo ainda causa arrepios no Flamengo

23
Luxemburgo, ex-técnico do Flamengo – Foto: Celso Avila

UOL: “Eles
não sabem absolutamente nada de futebol”. A frase de Vanderlei Luxemburgo
foi dita em 26 de maio de 2015, quando o atual técnico do Sport concedeu
entrevista coletiva para falar sobre a demissão do Flamengo, consumada no dia
anterior. O discurso do treinador ainda causa arrepios na Gávea mais de dois
anos depois. Neste clima, ele reencontra o clube de coração neste domingo (17),
às 16h (de Brasília), na Ilha do Urubu, pela 24ª rodada do Campeonato
Brasileiro.

A
última passagem de Luxa pelo Flamengo foi repleta de problemas. Apesar de obter
êxito no objetivo de tirar o time da “confusão” do rebaixamento em
2014, a relação começou a ruir a partir da eliminação para o Atlético-MG na
semifinal da Copa do Brasil. A entrada de Mattheus no segundo tempo e a goleada
para o rival por 4 a 1 causam revolta na torcida até hoje.
Pouco
tempo depois, alguns dirigentes do Rubro-negro defenderam a substituição de
Vanderlei Luxemburgo no comando para o ano seguinte. Não houve mudança e o panorama
só piorou a partir da pré-temporada de 2015.
Ainda
que um Conselho Diretor definisse as diretrizes do departamento de futebol, o
técnico se encarregou de antecipar possíveis negociações e estava apalavrado
com os atacantes Luís Fabiano e Robinho. Vanderlei tinha a convicção de que o
Flamengo precisava de jogadores de peso para não passar sustos, brigar por
títulos e alavancar o programa de sócio-torcedor, além do marketing.
Por
diversas vezes, a diretoria manifestou ao treinador o processo de reestruturação
financeira e deixou claro que a situação econômica para investimentos mais
profundos em reforços só melhoraria a partir de 2016. Luxa, então, sempre que
podia manifestava a insatisfação e a dificuldade para contratar nas
entrevistas. Dizia que o Flamengo não poderia lutar para não cair.
Os
maus resultados e o ambiente delicado minaram a relação. Quando recebeu
propostas de Internacional e São Paulo, o técnico levou o caso aos dirigentes.
Disse que queria apenas renovar o contrato e integrar o processo de recuperação
do Flamengo. Em nenhum momento a renovação foi parar no papel. A partir daquele
estágio, Luxa sentiu que o processo de “fritura” poderia ser
acelerado a qualquer hora.
A
demissão foi consumada pouco tempo depois e Vanderlei Luxemburgo disparou uma
sequência de críticas contra os dirigentes (leia a íntegra da entrevista aqui).
A principal delas segue engasgada na Gávea. “Existe uma dificuldade muito
grande com a diretoria. O Flamengo trabalha com um grupo de gestores. Eles
resolvem tudo e não sabem absolutamente nada de futebol. Que experiência esses
caras têm no futebol? Precisa passar por eles a compra de um alfinete…”.
Coincidentemente,
os ataques de Vanderlei Luxemburgo surtiram efeito em alguns aspectos. O clube
segue o trabalho de reestruturação e os dirigentes logo quiseram mostrar que o
agora desafeto estava equivocado. A contratação de Guerrero foi a primeira
ação. Nomes de peso como Diego, Everton Ribeiro e Diego Alves chegaram depois e
consumaram o novo patamar do Rubro-negro.

Os
resultados do futebol, no entanto, ainda deixam a desejar. Embora o clube tenha
conquistado o Campeonato Carioca de forma invicta em 2017, o último título de
expressão foi a Copa do Brasil de 2013. A frase de Luxa tem o seu peso,
incomoda e exorcizá-la é o desejo de muita gente na Gávea.
“O
Flamengo fez um trabalho correto para colher frutos no futebol. É lógico que os
resultados dependem de muitas outras coisas e sabemos que estamos próximos de
conquistar os títulos que a torcida almeja. Todo o processo de reestruturação
tem o seu preço e o clube enfrentou o seu. O Vanderlei foi bastante infeliz na
ocasião, mas vai comemorar quando o time do coração dele for campeão. O fato é
que o Flamengo se colocou na rota das vitórias mesmo que ele não aprove a forma
como trabalhamos”, encerrou um dirigente que preferiu não se identificar.

COMENTÁRIOS: