Botafogo disponibilizou apenas 1,8 mil ingressos ao Flamengo

49
Torcida Urubuzada do Flamengo no Engenhão contra o Botafogo – Foto: Gilvan de Souza

UOL: Adversários
históricos desde o dia 13 de maio de 1913, quando o Botafogo venceu o Flamengo
por 1 a 0 e deu o pontapé para um dos maiores clássicos do Brasil, alvinegros e
rubro-negros viram a rivalidade extrapolar as quatro linhas nos últimos tempos.
Recentemente, as animosidades deixaram os campos e ganharam as ruas. O ponto
máximo da tensão aconteceu depois da morte do alvinegro Diego da Silva dos
Santos, perfurado por golpes de espeto de churrasco desferido por rubro-negros,
no dia 12 de fevereiro deste ano.

Neste
domingo, Botafogo e Flamengo fazem novo clássico no Nilton Santos, às 19h, mas
a expectativa é que o ambiente extracampo seja mais pacífico do que o que tem
sido a marca do jogo recentemente.
De
acordo com o major Silvio Luiz, comandante do Grupamento Especial de
Policiamento em Estádios (GEPE), a perspectiva é de que a convivência seja
harmoniosa neste domingo. Recentemente, Carlos Eduardo Pereira e Eduardo
Bandeira de Mello, presidentes de Botafogo e Flamengo, respectivamente, foram à
televisão e fizeram uma trégua. O oficial reconhece que o clima bélico entre as
diretorias tinha interferência no comportamento da torcida, mas explica o
aumento recente da tensão.
“A
liberação da bebida tem sido um combustível para o descontrole. A perspectiva
para domingo é de uma partida mais tranquila, mas isso não muda a visão que
temos do jogo. A tentativa de entendimento dos presidentes nos facilita
muito”, analisou o major ao UOL Esporte.
Outro
fator que contribui para uma perspectiva de um domingo marcado apenas por
futebol é a opção alvinegra por uma equipe mesclada. Como pega o Grêmio pela
Libertadores, o técnico Jair Ventura deverá optar por uma formação recheada de
jogadores que não atuam com tanta frequência. O próprio comandante do GEPE
ouviu de representantes de organizadas do Botafogo que a mobilização para o
clássico não é das maiores.
“Não
verificamos aqui no Rio uma ligação do futebol com facções criminosas. O que há
é um descontrole maior de comportamento. Estamos tentando verificar os
focos”, acrescentou Silvio Luiz.
O Fla,
por sua vez, tem jogadores importantes à disposição de Reinaldo Rueda. Não
inscritos na Copa do Brasil, Everton Ribeiro, Geuvânio e Diego Alves serão
titulares. O time, no entanto, não terá grande apoio na arquibancada. Como a
carga para o jogo foi baixa, couberam apenas 1.800 ingressos para os
rubro-negros.

COMENTÁRIOS: