Carlos Eduardo relembra gol pelo Flamengo contra Cruzeiro em 2013

23
Foto: Pedro Vilela / Ag. Estado

GLOBO
ESPORTE
: A passagem de Carlos Eduardo pelo Flamengo deixou a desejar.
Contratação de peso em 2013, recebeu a camisa 10 e decepcionou: em 49 jogos,
fez apenas um gol. Ah, mas aquele gol… Para muitos, é considerado o do
“título” da Copa do Brasil daquele ano.

Carlos
Eduardo marcou o único gol rubro-negro na derrota por 2 a 1 para o Cruzeiro, no
Mineirão. O time perdia por 2 a 0 e ele, em um lance meio feio, mas de
oportunismo, descontou. Na volta, no Maracanã, triunfo carioca por 1 a 0, vaga
nas quartas de final garantida e arrancada rumo ao título.
Hoje
no Vitória e com 30 anos, o meia lembra de sua passagem pelo Flamengo. Admite
que não se dedicou como deveria nos treinamentos. Diz, no entanto, que torcerá
pelo clube na decisão da Copa do Brasil contra o Cruzeiro. Os times começam a
disputar a taça na quinta-feira, às 21h45, no Maracanã.
– A
maioria dos flamenguistas quando para e fala comigo sempre fala desse gol. Na
verdade, foi um gol muito importante porque a gente estava perdendo de 2 a 0.
Se não tivesse feito gol lá, a gente não ia classificar. Então em todo lugar
que eu vou as pessoas que são flamenguistas se lembram desse gol com certeza –
afirmou o jogador do Vitória, hoje aos 30 anos.
Cadu
sabe que não rendeu o esperado na Gávea (ele fala sobre isso com detalhes
abaixo), mas não esconde o orgulho de ter sido decisivo naquela conquista,
sacramentada após triunfos contra Botafogo, Goiás e Atlético-PR nas fases
seguintes.

Claro que fico muito feliz de ter participado desse título da Copa do Brasil
2013. Isso me deixou muito feliz. Graças a Deus, onde passei consegui conquistar
títulos. Com certeza a Copa do Brasil é um título muito importante no futebol
brasileiro. Estou lá na foto, estou lá na história, estou no jogo que foi
campeão, estou no gol que tirou o Cruzeiro. É muito gratificante para mim –
completou o atleta, que no jogo em questão já não vestia mais a 10 rubro-negra
e sim a 20.
Confira
o papo com Carlos Eduardo na íntegra:
Você mesmo já admitiu diversas vezes que a
passagem pelo Fla o decepcionou. O que faltou?
Todo
mundo sabe que a minha passagem pelo Flamengo não foi das melhores possíveis.
Eu queria muito, mas realmente não consegui demonstrar por várias
circunstâncias. Não me cuidei muito também, mas faz parte e isso é passado.
Não se cuidou em quê? O que faria caso
pudesse voltar no tempo?
Não me
dediquei muito dentro de campo e nos treinamentos, poderia ter dado mais e
melhorado na parte física. Fora de campo não me cuidei muito, da alimentação,
por exemplo, e isso me prejudicou um pouco. Não estava no peso ideal. Faria
tudo de novo. Estou com outra cabeça aos 30 anos. Com certeza iria trabalhar
bem mais, ia me cuidar mais na alimentação e focar mais. Não estava com foco em
trabalhar forte e estar concentrado nos jogos e treinamentos.
O que tirava sua concentração?
Algumas
amizades que me levavam para o caminho errado. Me tiraram o foco. Fazia coisas
que não deveria ter feito talvez por amizades que encostaram em mim.
Voltando ao gol contra o Cruzeiro, aquele
foi um dos mais importantes da sua carreira?
Cada
gol que a gente faz na vida é importante. Ajudou a nos classificar e a tirar um
dos melhores times do Brasil na época, o Cruzeiro foi campeão brasileiro. Têm
vários gols. Tem um (pelo Grêmio) contra o Santos que os gremistas lembram
muito da Libertadores.
Você fez belos gols pelo Grêmio, mas este
contra o Cruzeiro foi um pouco feio. O que achou esteticamente dele?
Foi um
gol em que o Dedé acho que errou feio, a bola foi para trás, bateu na trave e
voltou para mim. Graças a Deus, fui feliz de estar ali. Claro que não esperava.
A bola bateu na trave e voltou no meu pé. Bati. Tive a felicidade de ela entrar
no cantinho, e isso vou levar para sempre. Foi um gol muito importante para
nossa classificação na Copa do Brasil e para sermos campeões.
Você tem apenas 30 anos, é jovem. O que
pensa para a carreira: se firmar no Brasil e no Vitória ou num retorno à
Europa?
Quero
voltar a jogar em alto nível. Tive uma sequência boa agora no Vitória, consegui
demonstrar bom futebol. Isso me deixa muito feliz. Estou numa crescente muito
boa, assim como o clube. Penso passo a passo. Quero dar muita alegria aqui até
o fim do ano. Depois, com certeza vou ver minha situação. Claro que quero jogar
bastante tempo, mas espero ficar perto da minha família, aqui no Brasil. Se
tiver oportunidade de ir para fora, vamos estudar. Se for coisa boa, vamos
pensar. Mas só estou pensando no Vitória. O mais importante é jogar bem e ajudar
o Vitória a sair dessa situação, porque está muito difícil.
Vai torcer para quem na final da Copa do
Brasil 2017?
Com
certeza Flamengo, porque tenho muitos amigos lá. Vou passar uma força e
pensamento positivo para que dê tudo certo.

COMENTÁRIOS: