“Com Bandeira, explosão do Flamengo com Ronaldinho seria enorme”, diz Felipe

171
Ronaldinho Gaúcho comemorando gol pelo Flamengo – Foto: Ide Gomes / Frame

FOX
SPORTS
: Uma das principais contratações da história do futebol brasileiro, a
chegada de Ronaldinho Gaúcho ao Flamengo causou impacto em 2011. Com um salário
astronômico bancado por clube e uma patrocinadora, era a estrela da companhia
do time que terminou aquele Brasileirão no quarto lugar. Só que a relação
azedou no ano seguinte e acabou culminando em um casamento bastante curto.

Atraso
de salários, troca de treinadores e ano político, 2012 acabou marcado pela
saída do craque pela porta dos fundos. Na época, a torcida acabou revoltada com
o camisa 10. Só que um integrante daquele grupo fez questão de limpar a barra
de Ronaldinho Gaúcho. Segundo Felipe, goleiro daquele time e que atualmente
está sem clube, o maior culpado pelo insucesso do meia foi a própria gestão
comandada por Patrícia Amorim.
Em
entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br, o goleiro afirmou que faltava uma
estrutura profissional naquela época. Além disso, a imagem do jogador não foi
explorada pelo marketing do clube. E isso incomodava até mesmo Ronaldinho, que
chegou a se queixar com os colegas de time:
“O
Ronaldinho ficou um ano e meio no Flamengo, e os caras não fizeram nem uma
toalha para ele. Não teve marketing em cima do Ronaldinho. Era o melhor do
mundo e não teve nada para ele. Não recebia. Ele ficava chateado. Prometeram o
mundo para ele e não teve nada”, afirmou Felipe, que vê um futuro
diferente caso o craque chegasse sob o comando do presidente Eduardo Bandeira
de Mello:
“Seria
totalmente diferente. Se fosse hoje, com Bandeira de Mello, o Ronaldinho não
sairia do Flamengo e a explosão para o clube seria enorme”, finalizou.
Após
deixar o Flamengo, no meio de 2012, Ronaldinho Gaúcho acertou com o Atlético-MG
e teve sucesso em Belo Horizonte. Foi vice-campeão brasileiro assim que chegou
e faturou a Conmebol Libertadores Bridgestone no ano seguinte.

COMENTÁRIOS: