Diego é ofuscado por Éverton Ribeiro, mas ganha apoio da torcida

65
Diego, jogador do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

EXTRA
GLOBO
: Éverton Ribeiro foi o destaque individual no setor ofensivo do Flamengo
na classificação para as quartas de final da Sul-Americana, diante da
Chapecoense. A atuação na vitória por 4 a 0 não teve gol, mas participação
efetiva em um deles e movimentação e criação de jogadas constante.
Diferentemente de Diego, que teve participação mais burocrática e acabou
substituído pelo técnico Reinaldo Rueda no segundo tempo.

O
problema é que o primeiro não está à disposição para a final da Copa do Brasil,
diante do Cruzeiro, no dia 27. Só Diego, que deixou o campo aplaudido pela
torcida na Ilha do Urubu, e também recebeu os cumprimentos dos líderes do time
em campo, como Réver e Juan.
Ribeiro
ficou até o fim da partida e se mostrou a principal arma rubro-negra na fase
decisiva da competição. No início do jogo, caiu pela ponta esquerda, armando o
lance do segundo gol. Depois, se manteve aberto no segundo tempo, mas buscou
jogo e carregou da defesa para o ataque.
Diego
jogou centralizado o tempo todo. Apesar de toda dedicação, não conseguiu criar
jogadas nem com os pontas e nem com Guerrero. Limitou-se a conduzir a bola no
meio, às vezes demorando para dar a dinâmica certa nos lances. Mesmo assim saiu
aplaudido, por ser a esperança para que repita a boa atuação na semifinal da
Copa do Brasil contra o Botafogo. Se não tem Ribeiro, vai com Diego. Mesmo
longe da melhor fase no Flamengo.

COMENTÁRIOS: