Diretoria usa estádio para encaminhar reeleição no Flamengo

99
Terreno que receberá provável estádio do Flamengo – Foto: Reprodução / Google

EXTRA
GLOBO
: O passo dado pelo Flamengo ao assinar uma opção de compra de um terreno
na Avenida Brasil para a construção de seu estádio tem significado diferente de
outros momentos. Dessa vez, a sinalização de que o clube tem alternativas ao
Maracanã se transformou em mudança de prioridade ao equipamento operado pela
Odebrechet.

O
mítico estádio se tornou caro e insustentável. Nas palavras de dirigentes,
“Ninguém mais quer o Maracanã”. O plano A agora é sim a construção de um
estádio próprio. E esse promete ser o impulso para a plataforma de campanha de
reeleição do grupo do presidente Eduardo Bandeira de Mello. O próprio
mandatário se beneficiaria, pois tem planos de entrar para a política fora do
clube.
Avaliado
em até R$ 400 milhões, a área de 160 mil metros quadrados entre Benfica e
Manguinhos está em estudo a partir de agora. O Flamengo planeja uma arena para
50 mil pessoas. Os custos de implementação estão em análise e para isso há uma
receita específica no clube.
A
diretoria planeja utilizar o retorno financeiro da venda dos imóveis do Morro
da Viúva para ajudar no custo. Parceiros também estão em avaliação para a obra.
Já há uma plataforma de serviços oferecidos na Ilha do Urubu e no próprio
Centro de Treinamento que servem como base para o novo estádio.
O
acesso é considerado ideal. Uma estação de BRT está sendo construída muito
próxima do local. Também há desague pelo metrô e trem. Moradores da região
apontam a existência de áreas de risco próximo ao terreno, mas o Flamengo
acredita que a presença de um patrimônio como esse no local vai atrair mais
segurança.

COMENTÁRIOS: