Ederson se aproxima do terceiro ciclo da quimio no Flamengo

61
Ederson, do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

GLOBO
ESPORTE
: Os últimos dois meses e meio têm sido de foco diário. Desde o
diagnóstico do tumor no testículo, Ederson se manteve positivo diante do
tratamento que o manterá por ainda mais tempo longe do futebol. Na próxima
semana, o camisa 10 do Flamengo encerra o segundo dos prováveis três ciclos da
quimioterapia e, até aqui, tem tido boas respostas. Nas últimas semanas, fez
questão de ir ao CT do Ninho do Urubu para alguns trabalhos leves. É uma forma
de rever os amigos e não deixar de se movimentar.

Cada
um dos ciclos do tratamento dura três semanas. Os médicos têm liberado Ederson
com mais frequência para treinamentos na academia do CT. As visitas são
liberadas apenas nas semanas em que o meia não realiza a quimioterapia todos os
dias. Apesar das boas respostas, o tratamento tem como efeito colateral cansaço
e desgaste.
Na
semana passada, o jogador contrariou as expectativas e foi autorizado a
acompanhar o jogo de ida da final da Copa do Brasil. Por conta da imunidade
baixa causada pelo tratamento, Ederson dificilmente poderia ir ao estádio
lotado, mas acabou sendo surpreendido pelo sinal verde na semana do confronto
diante do Cruzeiro. Esteve também no vestiário com os companheiros.
Boa
parte dos familiares de Ederson está no Rio de Janeiro durante todo o período
do tratamento. Após os três ciclos da quimio, que deve durar mais pelo menos um
mês e meio, será analisado como o câncer reagiu (regredindo ou não) e avaliado
se será ou não necessária a realização de uma outra cirurgia. O jogador foi
operado no fim de julho, logo após ser diagnosticado.
Ederson no Fla
O
jogador de 31 anos chegou ao Flamengo em julho de 2015. Atuou em 38 partidas
desde sua estreia, em 12 de agosto do ano, e marcou quatro gols. Ederson tem
contrato com o Flamengo até 31 de dezembro.
Em sua
primeira partida com a camisa rubro-negra, jogou bem, e o Fla venceu o
Atlético-PR por 3 a 2 no Maracanã. Teve boa sequência de cinco jogos, com
direito a dois gols em duelo com o Palmeiras (2×4), mas sofreu lesão na coxa
esquerda em empate com o Vasco que eliminou o Rubro-Negro da Copa do Brasil. No
mesmo ano, novamente contra o Vasco, desta vez em derrota por 2 a 1, no
Brasileiro, levou pancada no joelho direito e sofreu contusão ligamentar.
Novamente perdeu ritmo.
A
temporada de 2016 só começou para Ederson em 5 de março, quando os reservas
venceram por 3 a 1 o Bangu, e o camisa 10 encerrou período de 104 dias sem
atuar. Passou a ser utilizado por Muricy Ramalho e posteriormente por Zé
Ricardo. Balançou a rede contra o Inter no dia 29 de junho, quando estava em
seu melhor momento, e, na partida seguinte, contra o Corinthians, sofreu a
grave lesão no joelho esquerdo em entrada de Fagner.

COMENTÁRIOS: