Everton Ribeiro e Diego devem jogar juntos após final da Copa do BR

24
Diego e Éverton Ribeiro no Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

UOL: Everton
Ribeiro custou R$ 22 milhões aos cofres do Flamengo. Melhor jogador do
Campeonato Brasileiro nos anos de 2013 e 2014, o meia chegou com status de
craque e titular absoluto ao elenco que já contava com Diego e Guerrero. Jogar
é algo natural para um atleta que conquistou relevância na carreira e foi
convocado seis vezes para a seleção brasileira.

Mas a
tímida utilização do camisa 7 nos jogos recentes em que o Rubro-negro contou
com o time completo incomodou os torcedores. Nas entrevistas, o técnico
Reinaldo Rueda sustenta o pensamento de que Everton Ribeiro e Diego disputam a
posição no meio de campo. O panorama, no entanto, tem relação direta com a
final da Copa do Brasil – dia 27, contra o Cruzeiro, no Mineirão.
Como
Everton Ribeiro não está inscrito na competição nacional, Rueda conversou com o
departamento de futebol e manifestou o desejo de dar rodagem ao time que jogará
a partida mais importante do ano. Berrío ganhou a vaga entre os titulares e tem
sido utilizado desde então. O meia está “esquecido”, mas por uma
questão emergencial, conforme apurou a reportagem do UOL Esporte.
Contra
a Chapecoense – empate por 0 a 0 na Copa Sul-Americana -, Everton Ribeiro
entrou apenas aos 43min do segundo tempo. O mesmo ocorreu na vitória por 2 a 0
sobre o Atlético-PR pelo Campeonato Brasileiro. Substituição tardia e na vaga
de Diego. Desde que Rueda chegou, ele jogou 90 minutos apenas nas partidas em
que o Flamengo não tinha os principais jogadores para a Copa do Brasil
disponíveis – Atlético-GO, Paraná e Botafogo.
Apesar
disso, o meia pode até entrar entre os titulares no jogo de volta contra a
Chapecoense junto com Diego. Rueda sabe o setor no qual o camisa 7 rende mais e
viveu os melhores momentos da carreira: o lado direito do ataque. Foi assim
recentemente no Flamengo – a vitória sobre o Vasco por 1 a 0, em São Januário,
é um exemplo – e quando brilhou com a camisa do Cruzeiro.
Ainda
assim, o fato de Everton Ribeiro ter entrado apenas depois de Vinicius Júnior e
Lucas Paquetá no jogo contra os catarinenses foi alvo de críticas da mídia
especializada e dos torcedores nas redes sociais. Rueda seguiu o discurso,
embora a final da Copa do Brasil tenha peso fundamental nas escolhas tomadas
até aqui.
“Eles
têm uma disputa boa para o grupo. Quando não for um, é outro, e em ocasiões
podemos ter os dois juntos. Não é fácil para um jogador como Everton Ribeiro
entrar e decidir em poucos minutos. São leituras de jogo. Não é fácil
mudar”, explicou.
Os
dois jogadores também falaram sobre a questão. Everton Ribeiro, por exemplo,
transpareceu questão da finalíssima.
“Lógico
que gostaria de jogar, mas tem a situação da Copa do Brasil. Sempre que
precisar estarei à disposição. Junto com o Diego ou não. Quero ajudar”,
disse.
“Nunca
ouvi de nenhum treinador que Everton Ribeiro e eu não podemos jogar juntos. Ele
é um atleta de muita qualidade”, completou Diego.
O
Flamengo está completamente voltado para a Copa do Brasil. O objetivo é
conquistar o tetracampeonato e a vaga antecipada na Copa Libertadores. A sorte
está lançada. Independentemente do resultado, a torcida espera que tudo volte
ao normal após o dia 27. Prescindir do talento de Everton Ribeiro é um risco.
Insistir nisso seria se colocar em maus lençóis.

COMENTÁRIOS: