Flamengo, Botafogo, Vasco e Fluminense permanecem de pé

26
Flamengo x Vasco em São Januário – Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images

GILMAR
FERREIRA
: Como parece mesmo impossível impedir a conquista do Corinthians, pelo
o todo que o time construiu no turno, a disputa por vaga entre os quatro
primeiros passa a ser o objetivo a ser alcançado.

A
classificação direta para a fase de grupos da Libertadores se transformou em
prêmio de consolação para alguns, e “performance estratégica” para
outros.
E se
assim pensarmos, a Série A do Brasileiro ganha até mais emoção, ao menos sob a
ótica do futebol carioca…
Nesta
luta, Flamengo, Botafogo, Vasco e Fluminense permanecem de pé.
FLAMENGO 2 x O SPORT.
Ainda
não foi atuação digna da qualidade do elenco rubro-negro, sobretudo no
segundo-tempo.
Mas o
resultado na Ilha do Urubu veio na medida para o time que vem de momento
conturbado e tem um título nacional para decidir no meio de semana.
O
Flamengo de Reinaldo Rueda tem altos e baixos como o do antecessor dele, e tem
muito a melhorar para chegar no nível esperado.
O
próprio colombiano sabe disso.
Mas
tem aproveitado a série de jogos em casa para avançar no Brasileiro.
E
isso, por ora, é o que mais importa.
ATLÉTICO-PR 3 x 1 FLUMINENSE.
Os
desfalques na defesa comprometeram a atuação numa partida que já seria difícil
para o Fluminense mesmo com todos seus titulares.
Porque
o Atlético-PR de Fabiano Soares tem movimentação diferente, com volume e
intensidade.
E
melhora sua produção a cada jogo.
Abel
Braga tem obtido bons resultados, mas desta vez há pouco a lamentar.
Não
houve conexão entre meio e ataque, e a superioridade dos donos da casa impediu
que o time carioca produzisse.
O
Fluminense, simplesmente, não esteve em campo.
CORINTHIANS 1 x 0 VASCO.
O gol
irregular do artilheiro Jô, que definiu o placar em Itaquera, desvia o foco da
discussão.
Porque,
apesar da derrota, o Vasco teve ideias claras de jogo ofensivo e foi bem
competitivo.
Teve
chances de marcar e em nada lembrou o time frouxo de outros jogos fora de casa.

Ricardo já conseguiu avanços, e isso, para o Vasco, me parece mais importante
do que o ponto perdido.
O
técnico, porém, foi infeliz na última alteração ao tentar fazer de Éder Luiz
uma opção ofensiva.
Abriu
mão dos “meninos” que vinham jogando para lançar num confronto contra
o líder um atacante de velocidade completamente fora do compasso.
BOTAFOGO 2 x 0 SANTOS.
Isoladamente,
a vitória em casa sobre um adversário desfigurado soa como um passo dos mais
comuns.
Mas
não foi só isso.
Os
seis titulares escalados por Jair Ventura jogaram muito bem e eleveram a
auto-estima coletiva.
Sentimento
que empurrou o time para a segunda vitória seguida do Botafogo, reabrindo a
possibilidade de disputa por vaga no G-4.
Dos
seis próximos jogos do time, quatro serão no Rio, e dois fora, contra Coritiba
e Avaí, adversários que ocupam a parte de baixo da tabela.
Agora
é definir a melhor estratégia para o confronto com o Grêmio, pela Libertadores.
Força
os alvinegros já mostraram que têm…

COMENTÁRIOS: