Flamengo cria e ‘erra o alvo’ na primeira derrota com Rueda

24
Matheus Sávio em Flamengo x Botafogo – Foto: Gilvan de Souza

ESPORTE
INTERATIVO
: O Flamengo tem técnico novo, é finalista da Copa do Brasil e deixou
para trás o momento negativo do primeiro semestre. Mas, na derrota para o
Botafogo, por 2 a 0, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe reviveu
problemas que custaram melhores resultados no passado. O time de Reinaldo Rueda
teve volume, tentou dominar, mas errou na hora de matar as jogadas no campo do
rival.

“Foi
incrível a atuação das equipes nos dois tempos. A diferença é que o Botafogo,
no segundo tempo, foi mais eficaz. Alguns jogadores (do Flamengo) vinham sem
ritmo, porque não jogam na Copa do Brasil. Isso nos prejudicou em algumas
situações na fase ofensiva”, disse o treinador.
“Faltou
capacidade de decisão nos metros finais. Faltou atrevimento, agressividade
ofensiva para chutar no gol do rival. Guerrero criou, Ribeiro e Sávio
tentaram… O problema foi na tomada de decisão”, continuou.
A
bronca com a falta de capricho no ataque tem fundamento: contra o Botafogo, o
Flamengo arriscou 14 chutes, mas Gatito Fernandéz fez duas defesas, tentou 40
cruzamentos e acertou 10. Isso com mais posse de bola e 15 desarmes, a maioria
no primeiro tempo. Os números são do Footstats.
Na
primeira derrota de Reinaldo Rueda pelo Flamengo, a equipe não repetiu ao menos
duas características que alavancaram o bom momento: a solidez defensiva e a
agressividade com a bola, com passes para furar as linhas de marcação
adversárias. Tanto que, atrás, Diego Alves precisou fazer quatro defesas, além
dos dois gols tomados. No ataque, o Rubro-Negro conta nos dedos as boas
chances, apesar dos mais de 400 passes trocados.
ANÁLISE DOS JOGADORES
Rhodolfo
“No
segundo tempo, a gente deixou um pouco de espaço para a equipe deles jogar. Não
foi um ou dois jogadores, foram todos. Vamos treinar forte, trabalhar para
mudar na quarta-feira”.
Willian Arão
“A
gente tinha uma grande oportunidade de encostar lá na frente. Deixamos escapar.
Na minha concepção, tivemos chances para fazer gols, mas não marcamos”.
Cuéllar
“No
primeiro tempo, não concluímos as oportunidades que o Botafogo mesmo entregou
para a gente. O jogo é assim: quem não faz, toma”.
Diego Alves
“A
derrota pode acontecer em qualquer jogo, mas não como aconteceu hoje. A maneira
que a gente perdeu nos deixou chateados”.

COMENTÁRIOS: