Flamengo de Rueda, desta vez, deixou a desejar

28
Rhodolfo em Botafogo x Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

GILMAR
FERREIRA
: A terceira derrota seguida do Corinthians no Brasileiro fez do líder
histórico do turno o antepenúltimo do returno.

Em
números, significa que o time de Fabio Carille somou três pontos dos 12 em
disputa.
E a
emoção estaria de volta se o Grêmio, segundo colocado, não tivesse obtido
quatro _ ou seja, apenas um a mais.
O
Avaí, por exemplo, que terminou o turno na zona de rebaixamento, é o líder
dessa segunda metade da competição.
Mas,
hoje, sete pontos separam o Corinthians do Santos.
E nas
últimas seis edições da Série A o líder na 23ª rodada se manteve na ponta até o
final.
Na
próxima partida, o adversário será o Vasco, que no sábado venceu o Grêmio.
Vejamos…
BOTAFOGO 2 x 0 FLAMENGO.
Como
as chances de conquista do título são só matemáticas, Jair Ventura e Reinaldo
Rueda escalaram seus times de acordo com o desgaste de seus jogadores.
Os
alvinegros porque têm jogo da Libertadores contra o Grêmio.
Os
rubro-negros pelo confronto com a Chapecoense pela Sul-Americana.
Como o
Botafogo teve mais dias livres por ter sido eliminado da Copa do Brasil pelo
próprio Flamengo, levou um número maior de titulares.
E
venceu!
Venceu
porque teve mais fome, mais entrosamento e mais dinamismo.
O
Flamengo de Rueda, desta vez, deixou a desejar…
VITÓRIA 2 x 2 FLUMINENSE.
É
evidente: um time que desempata o jogo aos 44m do segundo tempo, atuando na campo
do adversário, não pode sair sem os três pontos.
Mas
num embate entre times dirigidos por Vagner Mancini e Abel Braga a leitura é
outra.
O
Fluminense não fez um bom primeiro tempo, dominado que foi, mas no segundo
achou o empate e equilibrou o jogo até perder o estreante Robinho, expulso.
Ainda
assim, fez mais um gol (de pênalti).
O
melhor foi ver Douglas e Sornoza, recuperados, de volta ao time.
Reforços
para o jogo de quarta-feira, contra a LDU, pela Sul-Americana.
VASCO 1 x 0 GRÉMIO.
Tem
sido visto mundo afora o uso de estratégias defensivas em ações ofensivas.
E foi
o que Zé Ricardo fez para equilibrar o confronto com o vice-líder do
Brasileiro.
Em sua
estreia no comando do Vasco, o ex-treinador rubro-negro fezo simples.
Primeiro,
fechou o time em duas linhas nos 30 metros de seu campo de defesa.
Depois,
deixou Nenê no carimbo das bolas de ataque, com Ramon saindo na esquerda e
Matheus Vital na direita.
O time
ganhou amplitude e criou mais oportunidades de gol do que o adversário.
Nada
mais do que organização e método, fatores que agora fazem do Vasco um time
competitivo.

COMENTÁRIOS: