Juan diz que Flamengo não é mais o mesmo: “Totalmente estruturado”

81
Juan, zagueiro do Flamengo, sorrindo – Foto: Gilvan de Souza

ESPN: Revelado
nas categorias de base do Flamengo, Juan foi embora para o futebol europeu em
2002. Depois de 15 anos, duas Copas do Mundo como titular (2006 e 2010) e
passagens importantes por Bayer Leverkusen, Roma e Internacional, ele está
perto de conquistar um título pela equipe rubro-negra, que começa a decidir a
Copa do Brasil contra o Cruzeiro, nesta quinta-feira.

Neste
intervalo de tempo entre a primeira e a segunda passagem pela Gávea, enquanto
se consolidava como um dos melhores zagueiros do mundo, o zagueiro acompanhou à
distância o Flamengo ganhar um Brasileiro, duas Copas do Brasil e passar de um
clube com sérios problemas financeiros a um dos mais estruturados do país.
“Foram
muitos anos, por isso mudou muita coisa. Não sou o mesmo Juan de antes. Fiquei
dez anos na Europa, onde aprendi muito e amadureci. E nem o Flamengo é o mesmo
Flamengo de antes.  Fiquei muito feliz de
reencontrar um clube totalmente estruturado e em termos financeiros um dos
melhores do Brasil. Mas o prazer de vestir a camisa foi sempre o mesmo”,
disse ao ESPN.com.br.
Jogador
mais experiente do elenco rubro-negro, o zagueiro se mostra surpreso com a
longevidade no futebol mesmo aos 38 anos.
“Era
uma coisa um pouco improvável, mas vivo cada momento. Me cuido muito para estar
bem. Conhecer os meus limites é importante para chegar nessa idade ainda
jogando em alto nível no clube do meu coração”, relatou.
Na
primeira passagem pelo Flamengo, Juan venceu o três vezes o Carioca (1999, 2000
e 2001) e a Copa Mercosul de 1999. No retorno à Gávea, ele foi campeão do
Estadual neste ano.
Veja a
entrevista na íntegra com Juan
ESPN – Como surgiu essa possibilidade de
voltar ao Flamengo?
Juan –
Eu estava no Inter ainda e bem na Libertadores de 2015. Pintou essa chance e
deixei bem claro que seria muito interessante para mim. Até o final do ano as
coisas começaram a se desenrolar.
ESPN – Foram seis meses do primeiro
contato até o acerto?
Juan –
No primeiro momento eu pedi para esperar o desfecho da Libertadores antes de
começar qualquer tipo de conversa. 
Fiquei feliz porque no final do ano eu não estava jogando muito no
Inter. e mesmo assim o Flamengo manteve interesse em mim. Eu sentei para
conversar depois do final do Brasileiro, quando estava acabando meu contrato.
ESPN – Como foi voltar ao Flamengo depois
de tanto tempo? Você tinha saído em 2002 para o Bayer Leverkusen.
Juan –
Foi uma grande felicidade. Na época eu estava vendo que minha carreira estava
indo para o desfecho. E as coisas não estavam acontecendo para eu reencontrar o
Flamengo. Isso me deixava um pouco apreensivo. Quando confirmou a negociação eu
fiquei feliz demais. Queria isso há muito tempo.
ESPN – O que mais mudou em relação a sua
primeira passagem?
Juan –
Foram muitos anos, por isso mudou muita coisa. Não sou o mesmo Juan de antes.
Fiquei dez anos na Europa, onde aprendi muito e amadureci. E nem o Flamengo é o
mesmo Flamengo de antes.  Fiquei muito
feliz de reencontrar um clube totalmente estruturado e em termos financeiros um
dos melhores do Brasil. Mas o prazer de vestir a camisa foi sempre o mesmo.
ESPN – Como é para você ter vencido o
Carioca e agora poder vencer a Copa do Brasil?
Juan –
É mais um momento especial para mim. Um título importante de expressão
nacional. Hoje estou com 38 anos. Antes de uma final sempre ficamos muito
apreensivos para ver o que irá acontecer e ao mesmo tempo estamos muito
concentrados para fazer o melhor.
ESPN – Você sente ainda aquele frio na
barriga? 
Juan –
Tenho vontade de garoto (risos). Acho que o jogador sente isso
independentemente da idade. Enquanto o jogador tem isso dentro do corpo, esse
frio na barriga é porque o futebol ainda corre dentro da veia dele.
ESPN – O que mais mudou desde a chegada do
técnico Reinaldo Rueda? O que ele trouxe mesmo nesse pouco tempo de trabalho?
Juan –
O professor chegou em um momento conturbado e difícil para a gente. Ele no
primeiro momento nos passou muita confiança e tranquilidade que estávamos
precisando. A gente começou bem o trabalho. Ele arrumou de trás para frente
para não tomarmos gols porque na frente a gente tem muita chance de fazer. Isso
tem dado certo.
ESPN – Como é para você ser o jogador mais
experiente do elenco? Você procura passar sua vivência para os mais jovens?
Juan –
Temos vários jogadores experientes no elenco capazes de dividir essa liderança
e passar para os mais jovens a tranquilidade nos momentos mais difíceis. Temos
caras que passaram por grandes clubes e seleção brasileira. Eles dividem isso
comigo.
ESPN – Esperava chegar nessa idade jogando
em alto nível e brigando por títulos?
Juan –
Se me perguntasse lá atrás talvez não. Porque era uma coisa um pouco
improvável, mas vivo cada momento. Me cuido muito para estar bem. Conhecer os
meus limites é importante para chegar nessa idade ainda jogando em alto nível
no clube do meu coração.
ESPN – Até quando você pretende jogar
profissionalmente?
Juan –
Eu não faço planos. Eu penso muito no presente. Vamos ver nos próximos meses.
Ainda temos a chance de ganhar alguns títulos e depois no final ano iremos
avaliar. 

COMENTÁRIOS: