Lédio critica atuação do Flamengo: “Jogo mais fraco da era Rueda”

50
Ledio Carmona – Foto: Reprodução / SporTV

GLOBO
ESPORTE
: Na primeira partida da final da Copa do Brasil, o Flamengo saiu na
frente do Cruzeiro, mas deixou o Maracanã lamentando o empate por 1 a 1. Na
opinião do comentarista do SporTV Lédio Carmona, o jogo desta quinta-feira foi
“o mais fraco do Flamengo na era Rueda”. E o jornalista disse não ter
entendido duas susbstitições feitas pelo treinador colombiano no segundo tempo.

– O
jogo melhorou depois que o Flamengo fez o gol, abriu um pouco mais. Mas,
tecnicamente, foi um jogo muito ruim. Sessenta e um passes errados. Na minha
opinião, o Flamengo fez o pior jogo na breve gestão Rueda, de seis partidas.
Foi o pior jogo dele. Não entendi pelo menos duas substituições. A primeira ele
trocou três jogadores de posição. Tirou o Rodinei, colocou o Everton para o
lateral esquerda, jogou o Pará para o lado direito para a entrada do Vinícius
Júnior. Acho que não resolveu. O Vinícius não entrou bem, tentou, mas não
conseguiu. Depois trocou volante por volante (Cuellar no lugar do Márcio
Araújo). E no final colocou o Gabriel, centralizado, que pouco produziu. Neste
jogo, o Rueda perdeu para o Mano. O Cruzeiro não foi um time brilhante, mas foi
mais organizado. Se propôs a fazer um jogo consciente, a tirar a velocidade do
jogo e conseguiu. Foi o jogo mais fraco do Flamengo na era Rueda.
Para
Lédio, os objetivos do treinador do Flamengo com as três substituições
realizadas no segundo tempo não foram alcançados.
– Ele
colocou o Everton de lateral, com o Pará na direita, para ter mais velocidade,
mais força pelos corredores. Não aconteceu. O Everton praticamente em nenhum
momento atacou. Ele colocou o Cuellar para renovar o fôlego no meio, melhorar a
qualidade do passe do meio. Acho até que era uma boa iniciativa, mas não deu
certo. E o Gabriel como falso 9. Não acho que seja a melhor das alternativas.
O
ex-jogador Edinho também criticou a opção do treinador de tirar o
lateral-esquerdo Rodinei para a entrada de Vinícius Júnior, recuando Everton
para a lateral.
– Não
entendi a substituição do Vinícius Júnior com a saída do Rodinei, trazendo o
Everton para lateral esquerda. Só que o Everton não atacou. Porque a orientação
do Rueda é segurar os laterais para ter um pouco mais de segurança defensiva.
Foi um meia-atacante como lateral e preso na defesa (…) Normalmente um
treinador tiraria uma lateral e colocaria um meia para ser mais ofensivo.
Buscar essa característica do jogador atacante para pressionar o adversário. O
que não aconteceu. O Everton ficou parado ali na esquerda e não atacou em
nenhum momento – disse o comentarista.
Flamengo
e Cruzeiro decidem o título da Copa do Brasil no próximo dia 27, no Mineirão.
Na decisão da competição, não vale o critério do gol fora de casa.

COMENTÁRIOS: