Lucas Zibecchi deixa o Flamengo e assina com o Baskonia

10
Foto: Divulgação

GARRAFÃO RUBRO-NEGRO: por Rafael Rezende

No fim
de agosto, o Flamengo viu uma de suas maiores promessas partir rumo à Europa.
Destaque em todas as categorias que passou, o armador Lucas Zibecchi acertou
com o Baskonia, da Espanha. Dono de uma técnica refinada, o garoto, de 16 anos,
estava no Sub-17 e, há pouco tempo, tinha chamado atenção de olheiros do mundo
todo durante um período no exterior.
Apesar
de ser novo, Zibecchi é maduro e consciente das responsabilidades. Procurado
pela reportagem do Garrafão Rubro-Negro, o atleta explicou, de forma lúcida,
como foi a negociação com a equipe espanhola.
– Em
dezembro de 2016, um representante do Baskonia que estava no Brasil foi
assistir um treino meu na Gávea, se interessou por mim e me chamou para fazer
um tryout no CT do clube no início de 2017. Passei dez dias sendo avaliado na
Espanha e, após os testes, eles mantiveram o contato e disseram que mandariam
uma proposta. Foi o que aconteceu, e agora espero aprender muito e desenvolver
meu basquete por aqui – explicou.
Lucas
reconheceu que teve dificuldade para decidir, apontou os prós da sua escolha,
ressaltou a importância dos familiares e não poupou elogios ao Flamengo, time
que o acolheu ainda criança.
– Foi
a decisão mais difícil que tomei na vida. Não se trata apenas do esporte, tive
que pensar na educação, bem estar, e etc. Minha família esteve muito presente e
me apoiou, como sempre. Conversamos durante meses e concluímos que valeria a
pena. Sobre o Flamengo, foi o clube onde meu basquete começou a aparecer.
Cheguei no Sub-14 e, em dois anos, aprendi demais. Agradeço aos técnicos,
companheiros de time, comissão técnica, fisioterapeutas, e todos que me
ajudaram nesse processo. A passagem foi prazerosa e importante para o
desenvolvimento – esmiuçou e exaltou.
Indagado
sobre datas memoráveis, o jovem relembrou uma decisão equilibrada e completou a
declaração com uma mensagem impactante a respeito de Fernando Pereira, um de
seus comandantes.

Certamente a final do Estadual, em 2016, contra o Vasco, foi marcante. Tivemos
nossas adversidades e, mesmo assim, lutamos até o final. Não saímos com o
título, porém, não tenho como medir o tamanho do aprendizado. As finais do
Sul-Americano também foram legais, enfim, existem muitas memórias. Quero
aproveitar esse espaço de momentos especiais e falar do Fernando, meu treinador
no Sub-15. Se não fosse por ele, que sempre me cobrou bastante, mas acreditou
fielmente no meu potencial, eu com certeza não estaria aqui – afirmou e,
depois, enalteceu. 
Ao
finalizar a conversa, o jogador, que já está adaptado a cidade de
Vitoria-Gasteiz e conquistou um título no fim de semana passado, falou de como
a transferência para o continente europeu pode agregar na carreira.

Minha expectativa é desfrutar. Pretendo absorver o máximo conhecimento
possível. Estou tranquilo, pensando apenas em treinar e jogar, respirando
basquete. Quero me tornar um atleta melhor para atingir o nível profissional,
esse é meu sonho. Sinto que a Espanha é um ótimo desafio e penso em aproveitar
a oportunidade – concluiu.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here