Mano revela motivo para sua saída no Flamengo

67
Mano Menezes comemorando gol do Flamengo – Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images

LANCE:
A final da Copa do Brasil coloca Flamengo e o técnico Mano Menezes novamente
frente à frente. O atual comandante do Cruzeiro teve uma passagem curiosa e
relâmpago pelo Rubro-Negro em 2013. Insatisfeito com a postura de jogadores e
após um desentendimento com um dirigente, ele pediu demissão e pagou a multa
rescisória do próprio bolso. Em apenas três meses à frente do time carioca, o
treinador participou da campanha do título da Copa do Brasil daquele ano,
eliminando, nas oitavas de final, a mesma Raposa, que era apontada como
favorita na época.

O
diretor executivo de futebol do Flamengo em 2013, Paulo Pelaipe, contou ao
LANCE! como ocorreu a saída do treinador, após uma derrota de 4 a 2 para o
Atlético-PR, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O anúncio pegou a todos
de surpresa.
– Eu
fiquei sabendo quando terminou o jogo. O Mano me chamou numa sala e disse que
ia sair. Ele disse que teve alguns problemas e que ia sair. Eu fiquei sabendo
dos problemas depois. Foi um dos piores momentos daquele ano. Houve uma
turbulência após a saída dele. Mano deu sua contribuição (para o título).
Eliminamos um adversário terrível, considerado favorito, mas a vida continuava,
e o Jayme (de Almeida) assumiu – lembra.
Apesar
do aproveitamento de apenas 50% com o time do Flamengo, Mano pegou a todos de
surpresa quando pediu para sair. Na época, poucos entenderam os motivos do
adeus, que foram revelados recentemente, numa entrevista do treinador à ESPN
Brasil.

Aconteceram fatos lá que me levaram a tomar uma atitude radical, porque não é
comum um técnico pedir para sair. Tive que pagar multa rescisória… Fatos que
ocorreram depois com o grupo do Flamengo, que apareceram depois em algumas
festas, algumas coisas. Alguns jogadores entenderam que poderiam comemorar fora
do limite que eu acredito do profissionalismo do futebol – disse Mano, que
entrou em rota de colisão com o então vice-presidente de marketing do Fla, Luiz
Eduardo Baptista, o Bap.
– Uma
pessoa dentro do Flamengo quis decidir para quem eu daria e para quem eu não
daria entrevista. Foi o Bap. Eu tinha marcado duas entrevistas com dois colegas
de vocês (jornalistas) e, quando essa pessoa do Flamengo descobriu, ele não
queria permitir. Aí, tive um desgaste para mostrar para ele que eu estava
treinador do Flamengo, mas que o Flamengo não ia decidir minha vida
profissional em todos os aspectos. Mesmo assim, fiz as entrevistas, e ele,
internamente, considerou aquilo uma traição – contou à ESPN.
Pelaipe relembra dificuldades, celebração
do título e diz que vai ao jogo
Agora
morando em São Paulo, Pelaipe trabalhou 19 meses no Flamengo. Ele lembra que,
antes da conquista do título da Copa do Brasil, houve muitas dificuldades no
clube, que estava se encaixando numa nova realidade financeira.
– Foi
um ano de muitas dificuldades, sem dinheiro. Tivemos uma redução na folha
salarial, caiu de R$ 10 milhões para R$ 3,5 milhões. A primeira coisa que
fizemos naquele ano foi pagar rigorosamente em dia. O pagamento da carteira de
trabalho saía no dia quinto dia útil e o de imagem saída no dia 20. Conversamos
com os jogadores e parcelamos as dívidas em 20 vezes. Tivemos que abrir mão de
alguns jogadores por causa dos salários: Love, Ibson, Alex… Compramos o Samir
e o Hernani, e pegamos, por empréstimo, Paulinho, Wallace e Chicão. O time
encaixou. A torcida passou a apoiar a diretoria após muitas críticas pela saída
dos jogadores – lembra.
Pelaipe
contou que vai ao primeiro jogo da final, na próxima quinta, no Maracanã, palco
de uma das maiores alegrias da sua carreira.

Elias e Léo Moura me buscaram no vestiário para comemorar o título no gramado.
Eles me jogaram para cima no campo no final do jogo, em pleno Maracanã. Vou
levar aquilo para sempre, com muito orgulho – diz.
Mano já deu crédito a Jayme
Recentemente,
em entrevista ao LANCE!, o técnico Mano Menezes disse que não se considera
campeão da Copa do Brasil de 2013. Ele deu o crédito a Jayme de Almeida,
comandante a partir das quartas de final daquele torneio e hoje auxiliar
técnico da comissão fixa do Flamengo.
– Quem
conquistou o título foi o Jayme. Seria apropriação indevida. Fui até um pedaço.
Até eliminamos o Cruzeiro, mas faltava uma etapa e ela foi desenvolvida pelo
Jayme – disse Mano.
Flamengo
e Mano Menezes já duelaram cinco vezes desde que o treinador deixou o clube
carioca. Foram cinco partidas, com o retrospecto de três derrotas, um empate e
apenas uma vitória do treinador.

COMENTÁRIOS: