Menos uma Rodada

14
Gabriel em Flamengo x Avaí – Foto: Gilvan de Souza

BOTECO
DO FLA:
Por Sorin

É…
Não dá pra dizer que foi uma atuação-catástrofe, como também não dá pra achar
que foi um bom desempenho. Nessa mesma edição do campeonato já vimos o Flamengo
bem melhor e bem pior que isso.
O
resultado, esse sim foi pavoroso. Ainda que o Avaí ande em fase de recuperação
e agora com sete jogos sem derrota, não ganhar os três pontos em casa sempre é
uma péssima ideia, muito mais quando a distância para o por vezes vacilante
líder é abissal, e uma manutenção mais consistente no G4 ainda se faz
necessária. Digo ainda porque, em termos práticos, o motivo maior (mas não único)
para criar raízes na zona mais nobre na tabela pode acabar (assim esperamos) na
noite dessa quarta.
Apesar
de muitas críticas ao Rueda, acertada e coerente a decisão de deixar o Muralha
para quarta. Acertada por dois motivos. O primeiro é que ele não vai melhorar
ou piorar muito o seu desempenho por causa de um único jogo. Seria diferente se
viesse sendo escalado em todas as partidas após a contusão do Thiago, mas já
que não foi feito… Não foi feito. O segundo é que como a bruxa anda solta é
melhor garantir. Se o cara se machuca o nosso único goleiro em condições
físicas e regulamentares para a Final tem 7 anos de idade e seria a sua
estreia. Não rola. A coerência? Ah… É porque eu escalei o Muralha no Cartola.
Logo…
O
resto do time foi aquilo lá que a gente viu. Até que não faltou vontade por
completo, o que já é um ganho. Criatividade ficou um pouco de lado e rolou a
nossa velha e conhecida avalanche de bolas cruzadas de qualquer jeito pra área
pra ver o que acontece. Só na primeira etapa foram 12. Muitos erros individuais
no primeiro tempo e uma tentativa de abafa no segundo.
De
qualquer maneira, até que houve um número aceitável de finalizações e muitas
delas acabaram parando nas mãos do competente Douglas (13 pontos no Cartola
mesmo levando gol. Um bom termômetro sobre a sua atuação). E teve aquela
cabeçada do Vizeu, que seria a bola do jogo.
Bem…
Como Isso Aqui é Flamengo, muitos de nós na hora de cobrar no pós-jogo o
fazemos sem considerar mais nada que não seja o placar. Ganhou tá bom, não
ganhou tá ruim. Simples assim. Porém… Porém… Façamos uma breve observação.
Não
acho que nosso elenco seja ruim. O que não é o mesmo que dizer que temos um
time A e um time B fortes. Um mesclado entre titulares absolutos e reservas
daria conta do recado. Agora… Vou falar em tom de piada, mas lá no fundo há
seriedade. Escolhendo quatro nomes aleatoriamente dentre os que iniciaram
jogando ontem. O que pode ser pior que um time que começa com Vaz, Márcio
Araújo, Matheus Sávio e Gabriel? Um time que começa com Vaz, Márcio Araújo,
Matheus Sávio e Gabriel todos sem ritmo de jogo. Dá ou não pra pelo menos
começar a pensar em perdoar? Não que ritmo de jogo seja exatamente o problema
de alguns desses nomes. Mas enfim…
Do
lado de lá o Avaí saiu bastante satisfeito com o resultado. Empatar com o
Flamengo na Ilha do Urubu ainda funciona no imaginário dos outros clubes como
algo quase impossível. Mesmo descontando particularidades de cada jogo, como a
escalação por exemplo. O técnico deles, Claudinei, até mandou essa: “a maioria
dos jogadores que nos enfrentaram hoje teriam espaço no nosso elenco”. Aí…
Smurfada… O cara deu uma cavada. SERÁ que não tem mesmo como exportar alguns
pra Floripa já pensando no ano que vem?
Bem…
Cada vez mais o destino vai se desenhando para transformar uma grande parte do
Brasileirão em pré-temporada de luxo para 2018. E digo isso achando que o nosso
time titular dá conta fácil de entrar e permanecer no G4. Agora é foco no
Cruzeiro e no fluminenCe mais lá na frente. Aquela noite de eliminação da
Liberta deixou vários traumas, mas convenhamos: Se a gente sai de 2017 com
Carioca Invicto, Copa do Brasil, Sul-Americana e desempenho de G4 no
Brasileirão… Quem reclamar dizendo que tudo foi um fiasco só pode estar de
sacanagem.
Bora
torcer.
Isso
aqui é Flamengo.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here