Paquetá comenta gol e atuação como centroavante no Flamengo

293
EXTRA
GLOBO:
Jovem e com uma oportunidade na final da Copa do Brasil. Estamos falando
de Lucas Paquetá, que substituiu Guerrero e fez o gol no empate em 1 a 1 com o
Cruzeiro. Mas poderíamos estar falando de Thiago, o goleiro que falhou no gol
dos mineiros depois de substituir Alex Roberto na decisão. O meia-atacante deu
força ao amigo e disse que o time está bem servido quem quer que seja o titular
no jogo de volta.

Nossa convivência vem de bastante tempo, sempre passamos confiança um para o
outro. Temos toda confiança no Thiago. Temos que continuar trabalhando. Ele
ajudou bastante a gente. Já passou, temos que nos preparar para o próximo. A
gente está muito bem servido de goleiro. Tanto Thiago quanto o Alex. Quem for
jogar vai fazer o melhor para o Flamengo – disse Paquetá.
Lucas Paquetá comemorando gol em final pelo Flamengo – Foto: Buda Mendes/Getty Images

Sereno
para os seus 20 anos, o jovem disse que a noite especial ficou para trás. E
segue a batalha para seguir tendo chances. Seja improvisado no ataque ou em
outra posição. A concorrência com peças de experiência e caras, como Diego e
Éverton Ribeiro, abrem pouca brecha. O jogador confessou que as oportunidades
para os jovens são poucas com o elenco qualificado.

– Foi
uma energia surreal. Fiquei muito feliz com o gol. Sempre tive apoio de todos,
mesmo antes das oportunidades. Uma hora ia aparecer. Tenho a agradecer a todo
grupo. Espero vivenciar muita noites como a de ontem – afirmou Paquetá, que
acredita que conquistado o técnico Reinaldo Rueda.
– O
professor tinha me dado uma oportunidade e eu aproveitei. A gente ainda estava
indeciso entre a gente mesmo, eu e Vinicius, mas um passando confiança para o
outro. Soube um dia antes, fizemos alguns testes, me preparei, me concentrei
para um grande jogo – lembrou.
De
centroavante, Paquetá revelou que precisa se acostumar a jogar de pivô.
– A
maior dificuldade é o jogo de costas para os zagueiros. Jogo de meia, olho o
jogo de frente. De costas perco um pouco a noção do espaço. Onde a bola vai
cair, onde tenho que disputar. Mas tenho que me aprimorar para aproveitar
outras chances. Encaro com oportunidade para o meu jogo. Quero evoluir. Não
importa se vou estar defendendo ou atacando. O máximo que eu puder aprender, to
querendo – disse o consciente menino.
Agora
a expectativa é por uma sequência contra o Botafogo, no domingo, quando
Guerrero está á disposição. Paquetá, porém, não está com pressa de ser titular.
– O
que eu mais me preocupa é passar para o grupo que podem contar comigo. Dar o
melhor em qualquer lugar. São grandes jogadores na posição que passaram por
aqui. Procuro aprender com cada um. O elenco é muito qualificado. Eu busco
melhorar, esperar a oportunidade e aproveitar. Estou sempre disposto a ajudar
em qualquer tipo de posição – avisou.
Amigo
de Felipe Vizeu, que se machucou e não pôde atuar, Paquetá pegou dias sobre a
posição e torce para a recuperação do companheiro.
– Ele
me ajudou bastante, me deu dicas, conselhos. A gente conversa bastante. Espero
que ele volte logo para a gente estar junto novamente – torce.
A
rotina de jovens do Flamengo é essa. Lutar pelas poucas chances que vão
aparecer. Paquetá até agora aproveitou bem depois de ficar para o fim da fila
na temporada passada.
– A
gente já está aqui há algum tempo, mas com investimento no elenco é mais difícil
para a gente que é mais novo. Queremos sempre nosso lugar ao sol. Tem que estar
preparado para aproveitar quando surgir a chance – ensina o jovem.

COMENTÁRIOS: