Por que Thiago ou Muralha precisam jogar no Flamengo antes de final

39
Foto: Divulgação

GLOBO
ESPORTE
: Não há dúvidas na Gávea de que o jogo mais importante do ano está
marcado para 27 de setembro, no Mineirão. Em Belo Horizonte, Cruzeiro e Flamengo
decidirão quem será o campeão da Copa do Brasil de 2017. Nesse intervalo,
porém, o Rubro-Negro terá cinco jogos pela frente, os três últimos no Rio de
Janeiro. É o momento de dar ritmo aos que estão habilitados para jogar contra a
Raposa.

Diante
disso, eu, que não sou preparador de goleiros nem um ex-jogador da posição,
opino: seja quem for o escolhido de Reinaldo Rueda, Thiago ou Alex Muralha
precisa de uma sequência para chegar pronto para a final.
Diego Alves é o titular absoluto e ninguém
contesta.

Tem
seis jogos apenas como rubro-negro, mas seguirá como dono da posição na
temporada 2018. Em minha opinião, a saída de Diego por três rodadas, apesar da
exposição psicológica à qual estão submetidos Thiago e Muralha, não
influenciará diante do bom time que o Flamengo possui.
Na
semana anterior à final da Copa do Brasil, o Flamengo jogará três vezes no Rio
de Janeiro em seis dias. É a hora de Thiago ou Muralha ter sequência e,
consequentemente, ganhar ritmo e segurança para a decisão contra o Cruzeiro.
Curiosidades:

– Muralha
foi titular até 27 de junho, quando falhou feio em gol do Sport.
– Thiago
assumiu o gol no jogo seguinte, contra o Avaí, e atuou 13 partidas em
sequência.
– Após
a barração de Alex Muralha, o Fla jogou 25 vezes. Thiago foi titular em 15,
Muralha, em quatro; e Diego Alves, em seis.
Características de Thiago e Muralha

Em
contato com pessoas que convivem com os dois, o GloboEsporte.com conseguiu
informações a respeito dos perfis de ambos.
Thiago

Thiago
é visto como homem de personalidade e com psicológico forte. Amostra disso foi
dada após a falha contra o Cruzeiro. Encarou os microfones de peito aberto e
disse que “jogando no Flamengo, não se pode levar um gol desse”.
Quem
trabalhou com Thiago em seu início no Rubro-Negro afirma que desde a base ele
vem desenvolvendo equilíbrio e maturidade para encarar momentos de dificuldade.
Sempre teve perfil de liderança nas divisões inferiores.
Embora
tenha um elenco bastante unido, é inegável que o Flamengo tem diferentes
grupos: o dos evangélicos, os Garotos do Ninho e o dos gringos, por exemplo.
Sério, mas muito bom de convívio, Thiago transita bem em todos. É possível ver
em vídeos de bastidores exibidos pelo clube que sempre está nas rodas de
altinha e com diferentes jogadores.
Outra
característica, esta compartilhada com os jovens Lucas Paquetá e Vinicius
Júnior, é a paixão declarada pelo Flamengo. Nas redes sociais, chegou a
escorregar aos 17 anos, quando já era goleiro do clube. Cornetou João Paulo,
lateral que vivia péssima fase, e acabou tendo que deletar o Twitter. Não gosta
de comentar o fato, mas ganhou o apoio de muitos torcedores após tal manifesto.
Alex Muralha

Simpático
e também querido pelo elenco, Alex Muralha é pacato. Conversa com todo mundo,
mas é mais quieto. É outro cara “de grupo”: fez questão de dar um
abraço em Thiago após o erro contra o Cruzeiro. Os dois são amigos e tiraram
fotos com a taça do Carioca juntos enquanto celebravam o triunfo sobre o
Fluminense.
Convocado
por Tite em 2016, Alex Muralha chamou atenção por crescer na frente dos
atacantes. Num jogo simbólico do Brasileiro passado, pegou muito e parou
Gabriel Jesus cara a cara no início do duelo, que terminou em 1 a 1 no Allianz
Parque.
Tem ao
seu favor experiência e idade – faz 28 anos em novembro, enquanto Thiago tem
21. A ida para a Seleção, aliada ao grande Brasileiro realizado com a camisa do
Figueirense em 2015, faz com que todos tenham a impressão de que Muralha não
desaprendeu a agarrar.
Fato é
que em desembarques e ao longo das partidas exibe abatimento com críticas e
erros. Abala-se com facilidade. Tem o apoio dos companheiros, que se fecharam
por ele após falha em cobrança de falta contra o Paraná, duelo pela Primeira
Liga no qual não pegou nenhum pênalti após 1 a 1 no tempo normal. Ainda não
conseguiu recuperar a autoestima desde que virou alvo.
Somado
a isso tudo, abalou-se ainda mais após ter sido exposto na capa do jornal
“Extra” no último dia 1º. No alto da página, um
“comunicado” avisava que Alex Roberto perdera o direito de ser
chamado de Muralha.
Rebateu
com nota oficial, afirmando que sentira humilhado e que lhe fora dado
tratamento de bandido. Clique aqui e leia.
Em quem apostar?
Listadas
as características e levando em consideração o momento de ambos, eu, caso fosse
Reinaldo Rueda, escolheria Thiago. A torcida mostrou mais paciência com ele
após o erro diante do Cruzeiro, e a pressão naturalmente é menor.
Caso
Muralha seja escalado e erre na finalíssima com a Raposa, além de decretar o
fim de sua passagem pela Gávea, arrisco-me a dizer que o goleiro teria
dificuldades para se recompor rapidamente. E, além da opção técnica, tenho a
percepção de que é o momento de se preservar o ser humano.
Pelo
que já apurei e diante do momento psicológico de ambos, afirmo que dificilmente
Thiago não iniciará a finalíssima contra o Cruzeiro, no dia 27 de setembro, às
21h45, no Mineirão. Em caso de redenção, com paciência, ele terá seu espaço no
Flamengo um dia. Tem apenas 21 anos, 11 a menos do que Diego Alves.

COMENTÁRIOS: