Presidente do Flamengo volta a explicar termo “protegidos”

31
Foto: Fred Gomes

FOX
SPORTS
: Nesta quarta-feira (27 de setembro), o Flamengo enfrentará o Cruzeiro
na final da Copa do Brasil buscando o segundo título da competição desde 2013,
primeiro ano do mandato do presidente Eduardo Bandeira de Mello. Antes do
duelo, que terá transmissão ao vivo do FOX Sports a partir de 21h, o mandatário
deu uma entrevista ao site Globoesporte.com.

Nela,
Bandeira falou sobre a contratação do argentino Darío Conca, que disputou
apenas três jogos no ano. 

“Investimento no futebol não é caderneta de poupança,
que você sabe quanto vai render. Mas, não sei, pode ser que até o fim do ano
ele entre bem e tenha fim de ano excepcional. É o que todos rubro-negros
querem”, disse o presidente, que seguiu:

“Conca
é um excelente jogador, chegou ao Flamengo depois de fazer duas cirurgias
seguidas, entrou em processo de recuperação. Fizemos contrato de risco. A partir
de determinado momento o treinador achou que deveria escalá-lo. Não escalou
muito porque é definição do técnico”, concluiu o mandatário.
Bandeira
também falou sobre os jogadores “protegidos”, que foram citados em uma
entrevista recente ao programa Aqui com Benja. “Rafael Vaz, Muralha, Márcio
Araújo, Gabriel, Pará lá atrás… Eu já disse para o Pará que ele deixou de ser
meu protegido, já passou desta fase. Ele já não sofre mais bullying (risos)”,
afirmou o presidente, que explicou a sua posição:
“Você
não protege seu filho que sofre bullying? Ao proteger jogadores que estão sendo
desrespeitados, o time todo se sente protegido. Protegido é uma maneira de
falar. Jogador que não está sendo perseguido hoje, pode ser amanhã e sabe que
vai ter apoio do presidente, dos diretores…”, completou.

COMENTÁRIOS: