“Rueda destruiu a base do time do Flamengo”, diz Barreto

26
Reinaldo Rueda, técnico do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

SPORTV:
O Botafogo venceu o Flamengo por 2 a 0, com dois gols de Roger, no clássico
deste domingo, no Nilton Santos. O Alvinegro tinha oito titulares em campo,
enquanto o Rubro-Negro poupou seis jogadores da equipe principal após a chegada
de Reinaldo Rueda. Para o apresentador Marcelo Barreto, do “Seleção
SporTV”, o treinador colombiano acabou “quebrando” o seu time,
enquanto Jair Ventura tomou as decisões certas.

– O
Jair mantém a base, poupando jogadores. O Rueda destruiu a base. O Flamengo tem
valores individuais que, no papel, podem encarar o Botafogo, e até encarou. São
bons jogadores. Só que eles não jogam juntos, esse time não tem entrosamento.
Você quebra a espinha dorsal do time.
– Tudo
isso sobressai mais porque, do outro lado, o Jair tomou todas as decisões
corretas. E não estou falando só porque ele ganhou o jogo. O Jair agiu de
acordo com a grandeza do clássico, não correu grande risco em relação ao próximo
jogo. Ele tem um jogo muito mais importante na frente, porque está na
competição que é a Série A da América. O Flamengo está na Série B da América. E
está nas quartas de final, uma fase mais avançada. Vai com mais moral – disse
Marcelo Barreto, citando que o Bota segue na Libertadores e o Fla disputa a
Sul-Americana.
O
Botafogo tem, na quarta-feira, duelo com o Grêmio, pelas quartas de final da
Libertadores. No mesmo dia, o Flamengo encontra a Chapecoense, em Chapecó, pela
Copa Sul-Americana. Na opinião do repórter Eric Faria, da TV Globo, o clássico
contra o Glorioso pelo Brasileirão era uma partida de mais importância e, se
tivesse que poupar, Rueda deveria ter feito contra os catarinenses.
– Acho
que tem que levar em conta os pesos dos jogos. A Chapecoense é só o primeiro
jogo das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Você tem a chance de fazer o
segundo jogo em casa, com um regulamento em que o gol fora de casa é decisivo.
Com o Botafogo era um clássico no Rio de Janeiro, não houve viagem. O problema
foi avaliação do jogo, e não por poupar em uma semana intensa, com uma final.
Talvez o jogo com o Botafogo para o clube, para a instituição, para o campeonato,
fosse mais importante.
Na
opinião do repórter Andrei Kampff, porém, a decisão de Reinaldo Rueda tem
“atenuantes” que precisam ser levados em conta. O jornalista lembrou
que o Rubro-Negro, além da Sul-Americana, também tem a decisão da Copa do Brasil.
– Acho
que há atenuantes na decisão do Rueda. Os clubes brasileiros pensam muito na
Libertadores, e o Flamengo tem dois caminhos além do Brasileiro: a
Sul-Americana e a Copa do Brasil. Outro atenuante é o fato de ele ainda não
conhecer muito bem o grupo de jogadores. E o Flamengo investiu no começo do ano
em um grupo forte, justificando a partir daí que tinha vários campeonatos para
disputar. É hora de o Rueda olhar outros jogadores.
Depois
de enfrentar a Chapecoense, o Flamengo tem duelo contra o Sport, domingo, na
Ilha do Governador. O Alvinegro, após receber o Grêmio, tem outro jogo no
Nilton Santos pelo Brasileiro, no sábado, diante do Santos.

COMENTÁRIOS: