Rueda indicará se Diego e E. Ribeiro são concorrentes no Flamengo

55
Éverton Ribeiro e Diego em falta do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

O
GLOBO
: Um dos pilares do modelo de jogo implementado por Zé Ricardo no Flamengo
era a construção a partir de dois meias. O armador central era Diego. O que
atuava nas pontas já foi Alan Patrick e Mancuello, mas só com a chegada de
Everton Ribeiro o rubro-negro pareceu encontrar a peça ideal para a engrenagem.
Depois da troca de comando, o técnico Reinaldo Rueda pela primeira vez
indicará, nesta quarta-feira, contra a Chapecoense, se pretende manter essa
estrutura.

Até
aqui, Diego e Everton Ribeiro não foram titulares simultaneamente com o
colombiano no banco de reservas. Isso se deu porque o camisa 7, fora da lista
de inscritos na Copa do Brasil, desfalcou a equipe na competição. Já o número
35, fundamental no mata-mata, acabou sendo poupado de outras competições, como
o Campeonato Brasileiro e a Primeira Liga.
A
estratégia adotada para a partida desta noite, às 19h15, pela Sul-Americana,
indicará se Diego e Everton Ribeiro podem ser parceiros ou se são concorrentes
por uma vaga na equipe titular. A predileção de Rueda por um jogo mais
vertical, dependente de homens velozes nas pontas, pode ser um mau sinal para a
dupla e uma esperança para Berrío — justamente o jogador que mais ganhou espaço
desde a troca de técnico.
— Não
gosto de mudar. Trato para que sempre jogue o mesmo time, mas o Brasil é
diferente pela distância, pela velocidade. Queremos uma escalação que vá bem,
que conquiste resultado e que dê alegrias para a torcida — explicou o
treinador.
São
sete jogos com Rueda até aqui. Diego atuou sozinho em três deles, contra o
Botafogo (ida e volta) e o Cruzeiro pela Copa do Brasil. Foram uma vitória e
dois empates. Éverton Ribeiro, por sua vez, era o único armador no empate (1 a
1) seguido de eliminação para o Paraná na Primeira Liga e na derrota (2 a 0)
para o Glorioso pelo Brasileiro.
Em
apenas duas ocasiões os camisas 7 e 35 participaram de um mesmo confronto. Na
vitória por 2 a 0 sobre o Atlético Goianiense, pelo Nacional, Everton Ribeiro
foi titular e Diego entrou no segundo tempo. Já diante do Atlético Paranaense,
Diego foi titular e, já na reta final da partida, saiu para dar lugar
justamente a Everton Ribeiro.
As
atividades comandadas por Rueda ao longo da semana mostram como mais provável a
opção por apenas um meia armador. O time que encara a Chapecoense deve ser o
seguinte: Diego Alves, Rodinei, Réver, Rhodolfo e Pará; Cuéllar, Willian Arão e
Diego; Berrío, Everton e Guerrero.

COMENTÁRIOS: