Rueda prega DNA vencedor no Flamengo e mira título no Mineirão

22
Reinaldo Rueda, treinador do Flamengo – Foto: Staff Images

EXTRA
GLOBO
: “A diferença das grandes equipe do mundo é ganhar sempre”. Essa foi
apenas uma das frases marcantes proferidas pelo técnico Reinaldo Rueda sobre o
comportamento que espera do Flamengo para a segunda partida da final da Copa do
Brasil, diante do Cruzeiro, no Mineirão. Na véspera do jogo, o treinador
concedeu entrevista coletiva em que confirmou a recuperação do atacante Everton,
conforme divulgado pela reportagem na segunda-feira, e projetou a conquista de
seu primeiro título na Gávea.

– São
momentos, clubes e elencos diferentes. Se posso tirar algo de lá que dê para
usar aqui é a mentalidade. Meu objetivo é instalar e concretizar um DNA
vencedor. Quero um time que vença fora e dentro de casa jogando do mesmo jeito,
porque isso marca os grandes times, ressaltou Rueda.
A
presença da torcida contra no Mineirão não assusta o treinador, que pediu foco
no campo e concentração 500% no jogo. Segundo Rueda o Flamengo precisa jogar de
forma competitiva e sem excesso de confiança, especialmente jogadores de mais
nome.

Temos equipe com grande qualidade, experiência, com trajetória grande. Hoje no
futebol não vale somente o nome. Tem que ter comportamento. Competitivo,
intenso. Evitar excesso de confiança. Jogar cada jogo. A equipe está melhorando
mais nesses jogos importantes, decisivos. Contra equipes fortes demonstramos
raça, experiência, estamos em bom momento – acredita o técnico.
Com
cerca de um mês no clube, Rueda deu credito a uma eventual conquista a Zé
Ricardo e disse que o titulo não é garantia de durabilidade do trabalho. Para
ele, no Brasil o treinador renova contrato todos os dias.
– Esse
é um caminho que quem começou foi o professor Zé Ricardo, que tem muitos
méritos. Fizemos um aporte. Queremos que a torcida possa comemorar esse título,
porque seria muito gratificante. Como estrangeiro sou abençoado por chegar a
essa instancia, num jogo tão importante. Essa é a grande esperança. Mas não
significa que garanta estabilidade e longo projeto no Flamengo. Renovamos
contrato a cada 24 horas. Hoje estamos, amanhã não estamos. Dependendo da
convicção, dos projetos, e trabalhamos para isso. Estamos em uma grande
instituição que valoriza isso, e seria muito importante essa conquista para
coroar isso – definiu o técnico, já acostumado com a pressão da torcida.
– É
alto cultural, brasileiro, viver o futebol como paixão. Evito estar na rua, mas
sempre existe uma exigência, que se ganhe, que se ganhe, com as preferências
por jogadores. É normal. Viemos de uma equipe ganhadora e grande como o
Atlético Nacional e sabemos a responsabilidade. No Rio e no Flamengo isso é
multiplicado por três. A intensidade pela situação de felicidade por poder
ganhar um título.

COMENTÁRIOS: