Aproveitamento do Flamengo em 2017 é maior sem Diego

15
Diego rindo de Márcio Araújo no Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

EXTRA
GLOBO
: O Flamengo vem se preparando para o clássico com o Fluminense, que será
disputado na quinta que vem, pelo Campeonato Brasileiro, sem um dos seus
principais jogadores: o meia Diego, que se recupera de uma lesão muscular na
coxa direita. O técnico Reinaldo Rueda quebra a cabeça para encontrar um
substituto, já que é bem provável que Diego não esteja apto para a partida do
Maracanã.

Para a
vaga, o colombiano pode optar por Éverton Ribeiro jogando mais recuado, ou
mesmo pelo jovem Lucas Paquetá que, com ele, tem atuado improvisado como
centroavante. Outros jogadores, como Federico Mancuello e Gabriel, também podem
fazer a função, mas como não gozam de tanto prestígio com o técnico, devem
ficar como opções no banco de reservas.
costumado
a ser decisivo no Flamengo, Diego não vive uma boa fase e tem sido bastante
criticado pelos torcedores nas redes sociais. Ele vem de duas atuações
apagadas: contra o Cruzeiro, na final da Copa do Brasil, onde desperdiçou um
pênalti, e contra a Ponte Preta, pelo Brasileiro, partida em que se machucou e
por isso acabou cortado da seleção brasileira. Apesar disso, dentro do
Rubro-negro, o jogador é tratado como desfalque de peso.
Mas
será que Diego faz tanta falta ao Flamengo? Os números mostram que, nesta
temporada, o craque não faz tanta falta assim. Com ele, foram 39 jogos com 19
vitórias, 13 empates e sete derrotas. Um aproveitamento de 59%. Foram 12 gols
marcados. Sem ele, foram 26 jogos com 14 vitórias, oito empates e quatro
derrotas. Aproveitamento de 64%. Não é tão superior, mas é algo a se
considerar. Até porque, em 2016, o aproveitamento do Flamengo com Diego era bem
superior a quando jogava sem o meia. Com ele, o aproveitamento foi de 72,2%.
Sem ele, de 54,8%.

COMENTÁRIOS: