Conca não joga e vira “pior contratação” do Flamengo

40
Conca treinando no Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

UOL: A
gestão do presidente Eduardo Bandeira de Mello contratou 65 jogadores desde
2013. Alguns renderam o esperado, enquanto outros apenas passaram pelo
Flamengo. De todos esses, nenhum causou tanta polêmica e jogou tão pouco quanto
Darío Conca. Foram apenas três partidas até o momento – 27 minutos em campo. No
que envolve o rendimento e a expectativa criada, o argentino se transformou na
“pior contratação” do clube nas últimas cinco temporadas.

A
questão envolvendo Conca é complexa. Ele foi emprestado sem custos ao Flamengo
pelo Shanghai SIPG, da China, até 31 de dezembro deste ano. O clube passou a
pagar parte do salário do meia (cerca de R$ 350 mil) quando jogou pela primeira
vez após a recuperação da cirurgia no joelho. O camisa 19 estreou apenas em 14
de junho contra a Ponte Preta. Depois, entrou em campo diante do Fluminense e
atuou pela última vez em 30 de agosto, quando o Rubro-negro foi eliminado pelo
Paraná na Primeira Liga.
O
problema é que até o momento o jogador não alcançou o nível físico e de
competitividade dos demais atletas, o que faz com que a comissão técnica opte
com frequência por nem sequer relacioná-lo para as partidas. É fato que Conca
foi uma aposta do departamento de futebol, principalmente do ex-vice da pasta,
Flávio Godinho, e que terminou em problema no Ninho do Urubu.
Quando
foi apresentado, em 13 de janeiro, o argentino falou com otimismo sobre a volta
aos campos. Praticamente nove meses depois, o que se vê nos bastidores é um
Conca cabisbaixo e insatisfeito por jogar tão pouco. O meia sabe que a
sequência no Flamengo é delicada e a contagem regressiva para deixar o clube já
está em andamento.
De
todos os atletas contratados desde 2013 (veja lista com os nomes abaixo), Conca
só não jogou menos do que o zagueiro Antonio Carlos e o lateral Arthur
Henrique. Os dois, no entanto, chegaram no começo de 2016 para o projeto do
clube de disputar o Campeonato Carioca com um time alternativo.
O
plano não avançou e a dupla nem sequer teve oportunidade. Antonio Carlos ainda
participou de um amistoso contra o Santa Cruz, mas só. Pela polêmica que
envolveu o departamento médico, o impacto da contratação e o custo final, não
resta dúvida de que Conca foi bem menos do que se esperava. Não há mais o que
fazer. Só resta encerrar a passagem pelo Flamengo com dignidade.
Veja
os 65 jogadores contratados pelo Flamengo na gestão Bandeira:
2013
Bruninho
– 14 jogos
Carlos
Eduardo – 49 jogos / 1 gol
Val –
18 jogos
Diego
Silva – 21 jogos
Gabriel
– 212 jogos / 23 gols
Elias
– 56 jogos / 10 gols
João
Paulo – 97 jogos / 4 gols
Paulinho
– 110 jogos / 16 gols
Wallace
– 177 jogos / 7 gols
Chicão
– 48 jogos / 3 gols
André
Santos – 93 jogos / 5 gols
Marcelo
Moreno – 21 jogos / 5 gols
2014
Arthur
– 12 jogos
Anderson
Pico – 32 jogos / 2 gols
Erazo
– 7 jogos
Elano
– 15 jogos / 3 gols
Alecsandro
– 73 jogos / 32 gols
Feijão
– 6 jogos
Eduardo
da Silva – 49 jogos / 14 gols
Marcelo
– 42 jogos / 1 gol
Lucas
Mugni – 51 jogos / 5 gols
Márcio
Araújo – 212 jogos / 3 gols
Elton
– 13 jogos / 2 gols
Everton
– 240 jogos / 34 gols
Canteros
– 96 jogos / 5 gols
Léo –
11 jogos / 2 gols
2015
Almir
– 11 jogos
Thallyson
– 9 jogos
Marcelo
Cirino – 104 jogos / 24 gols
Kayke
– 22 jogos / 6 gols
Pará –
141 jogos / 4 gols
Armero
– 6 jogos
Arthur
Maia – 22 jogos / 2 gols
Alan
Patrick – 76 jogos / 15 gols
Ayrton
– 15 jogos / 1 gol
Ederson
– 39 jogos / 4 gols
Bressan
– 19 jogos / 1 gol
César
Martins – 34 jogos / 1 gol
Jonas
– 38 jogos/ 1 gol
Emerson
Sheik – 82 jogos / 23 gols
Paolo
Guerrero – 105 jogos / 42 gols
2016
Antonio
Carlos – 1 jogo
Arthur
Henrique – Não jogou
Chiquinho
– 18 jogos
Juan –
305 jogos / 32 gols
Rodinei
– 74 jogos / 6 gols
Mancuello
– 66 jogos / 9 gols
Alex
Muralha – 75 jogos
Willian
Arão – 115 jogos / 16 gols
Cuéllar
– 69 jogos / 2 gols
Fernandinho
– 32 jogos / 4 gols
Réver
– 81 jogos / 5 gols
Rafael
Vaz – 72 jogos / 1 gol
Donatti
– 11 jogos
Leandro
Damião – 40 jogos / 11 gols
Diego
– 58 jogos / 18 gols
2017
Conca
– 3 jogos (27 minutos)
Trauco
– 41 jogos / 4 gols
Berrío
– 42 jogos / 6 gols
Romulo
– 23 jogos / 1 gol
Renê –
29 jogos / 1 gol
Rhodolfo
– 13 jogos
Geuvânio
– 12 jogos / 1 gol
Diego
Alves – 11 jogos
Everton
Ribeiro – 22 jogos / 6 gols

COMENTÁRIOS: