Diego quebra jejum de 643 minutos do Flamengo

41
Diego, do Flamengo, comemorando gol contra a Chapecoense – Foto: Gilvan de Souza

UOL: Não
resta dúvida de que Diego é um dos principais nomes do elenco rubro-negro. O
meia, no entanto, respirou com a vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, no
último domingo (15), na Arena Condá. Foi do camisa 35 o gol que garantiu o
triunfo fora de casa após mais de três meses. O último havia sido em 8 de julho
– 1 a 0 sobre o Vasco, em São Januário. O time, inclusive, não balançava as
redes longe dos seus domínios há 643 minutos.

Além
de encerrar a marca negativa e dar ao técnico Reinaldo Rueda a primeira vitória
fora do Rio de Janeiro, Diego voltou a ser fundamental, o que já não era visto
com tanta frequência.
A
atuação não foi das mais exuberantes, mas o meia apareceu para resolver o jogo
aos 34min do segundo tempo. Ainda com o peso do pênalti desperdiçado na final
da Copa do Brasil contra o Cruzeiro e das falhas em momentos decisivos diante
de Palmeiras e Corinthians, Diego enfrenta cobranças da torcida.
A
avaliação é justa, já que o jogador apresentou considerável queda de rendimento
após a cirurgia no joelho e busca reeditar os melhores momentos com a camisa
rubro-negra.
“Criar
jogadas é fundamental. Seria mais preocupante se isso não acontecesse.
Estávamos incomodados de as vitórias não saírem. Precisamos continuar. A equipe
tem qualidade, o trabalho do Rueda é excelente, mas sabemos que alguns pontos
precisam evoluir”, afirmou.
Apesar
de ter resolvido o jogo contra a Chapecoense, a última atuação de destaque do
camisa 35 pelo Flamengo foi em 22 de junho, quando o Flamengo goleou os
próprios catarinenses por 5 a 1. Ele fez dois gols e deu uma assistência. A
expectativa de todos na Gávea é a de que a má fase tenha terminado junto aos
jejuns que foram quebrados em Chapecó.
“Diego
é um profissional íntegro. Passou por essa situação na seleção brasileira
[lesão], fez um excelente trabalho e voltou. Foi um esforço grandíssimo. Por
sorte, ele fez o gol do triunfo, que fortalece ao próprio e ao Flamengo”,
encerrou o técnico Reinaldo Rueda.

COMENTÁRIOS: