Flamengo, a grande decepção da temporada

34
Guerrero se lamentando em jogo do Flamengo – Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images

GOAL: Decepção.
Assim o torcedor e a mídia definem a temporada do Flamengo até o momento. E não
é para menos. O rendimento, assim como o desempenho da equipe estão muito
abaixo do esperado por todos, por conta do elenco cheio de estrelas e do alto
investimento feito para 2017.

Na
última quinta-feira (12), o Rubro-Negro chegou a sua quarta partida consecutiva
sem vitória (três empates e uma derrota) e está cada vez mais longe do G-4 do
Brasileirão, uma vez que ocupa a sétima posição.
Queda
precoce na Copa Libertadores – principal objetivo do clube -, vice na Copa do
Brasil e campanha irregular no Campeonato Brasileiro. Definitivamente, o
torcedor não tem muito o que comemorar, apesar da alta expectativa.
Após o
empate com o Fluminense em 1 a 1 no Maracanã, a torcida rubro-negra demonstrou
insatisfação, cantando ‘time sem vergonha’.
“Eles
têm toda razão (em protestar). Eles querem que o time ganhe. Tomamos um gol
contra, coisa imponderável no futebol, mas tivemos coragem e reação. Pelo
resultado, eles têm razão em protestar, mas pela entrega, não. Mas essa é a
exigência do Flamengo, o sentimento, a paixão, eles estão com todo
direito”, afirmou Rueda.
E
apesar do sentimento de decepção, o zagueiro Juan, jogador mais experiente do
atual elenco, fez questão de lembrar que o ano não acabou e que o Fla ainda tem
o Brasileirão e a Sul-Americana.
“O
ano não acabou. Claro que gerou muita expectativa e quem conhece o Flamengo
sabe que você vive sempre céu e inferno. Estamos em outubro ainda e o ano não
terminou. Por mais que pessoas de fora queiram colocar isso dentro do nosso
grupo, nós temos o Brasileiro para recuperar e Sul-Americana para conquistar um
título”, opinou.
É bem
verdade que o título da Sul-Americana pode amenizar a temporada. No entanto,
nada vai apagar o “algo mais” que tanto está fazendo falta.

COMENTÁRIOS: