Flamengo tem discurso voltado para o foco em momento difícil

30
Foto: Gilvan de Souza

GLOBO
ESPORTE
: A gente também não pode achar que está tudo errado”. A frase do
zagueiro e capitão Réver, horas depois da derrota do Flamengo para a Ponte
Preta, no começo desta semana, dá alguma noção de como, internamente, o time
comandado pelo técnico Reinaldo Rueda encara o atual momento. Responder em
campo e não com palavras é o que pregam os rubro-negros.

Dez
dias após o vice da Copa do Brasil, o Rubro-Negro ainda tenta esquecer a
derrota nos pênaltis para o Cruzeiro. Por causa dos jogos das eliminatórias
para a Copa do Mundo de 2018, o Fla só volta a jogar na quinta-feira, contra o
Fluminense, no Maracanã. Mas como o elenco encarou os últimos dias? Abalado por
causa do título que escapou? De cabeça erguida? Tentando corrigir erros?
De
tudo um pouco. O momento, de fato, não é dos melhores sob o comando do técnico
Reinando Rueda. O colombiano, há quase dois meses no Rubro-Negro, busca o
equilíbrio para a equipe. A defesa, antes contestada, foi ajeitada: apenas seis
gols sofridos em 13 jogos disputados. O ataque, porém, caiu de rendimento: a
média de gols marcados caiu de 1,87 para 1,07 por partida.
O
time, apesar de não ter vencido, chegou à final da Copa do Brasil. Está nas
quartas da Sul-Americana. E ainda tem chance de ir ao G-4. Por isso, o que
Réver disse, faz sentido. Agora, nos dias sem jogos, Rueda tenta reencontrar o caminho
para o topo da tabela do Campeonato Brasileiro (o Fla está em sétimo, com 39
pontos). Afinal, a Libertadores segue sendo o objetivo.
Abaixo,
o GloboEsporte.com reúne cinco declarações que explicam o atual momento do
Rubro-Negro:
Diego
Alves:
“Com
respeito a números, porcentagem de vitórias, deixo com vocês… Vocês são
especialistas, fazem as críticas positivas e negativas. O Rueda chegou há pouco
tempo, está começando um trabalho. Sabemos que, no Flamengo, acontece uma coisa
pequena e se transforma num furacão”.
Réver:
“A
gente também não pode achar que está tudo errado, até porque vem sofrendo com
algumas situações, nós temos dominado as partidas e infelizmente não estamos
conseguindo fazer os gols. Então, acredito que esse vem sendo o fator principal
para que a gente não esteja vencendo os jogos. Temos que trabalhar mais durante
a semana e pensar no próximo jogo.
(…)
Agora temos esses 10 dias para trabalhar, ficar calado mais uma vez para
acertar esses detalhes que vêm fazendo a diferença e que vêm fazendo com que a
gente não consiga vencer as partidas”.
Everton Ribeiro:
“Não
nos abatemos com a perda da Copa do Brasil, mas não conseguimos ser eficientes
no ataque. Derrota custa caro, mas temos 10 dias para acertar os erros e voltar
forte para a temporada. A gente também gostaria de saber. Temos bom elenco,
bons jogadores, a comissão técnica faz bom trabalho. Precisamos de algo a mais.
A gente precisa mudar alguma coisa para vencer e alcançar nossos
objetivos”.
Reinaldo Rueda:
“Penso
que são nomes grandes, jogadores com muita experiência. Cabe a nós assumirmos
como homens essa responsabilidade. Lamentavelmente não estamos conseguindo
resultados de acordo com a nossa expectativa. É uma pausa que pode ser para o
bem ou para o mal. Penso que o time teve uma boa atitude mental, apesar do que
aconteceu na quarta-feira. Jogou com disposição, com organização, coletividade
e com muito boa agressividade. Mas só se consegue com resultados e esperar que
esse clássico seja positivo para nós.
(…)
Temos que trabalhar e conseguir os resultados que nos posicionem melhor. A
posição de quinto e sexto são difíceis. Temos que falar menos e trabalhar
melhor”.
Arão:
“Preocupa
muito (distância do G-4), atrapalha bastante o nosso trabalho. Contávamos com
essa vitória para ficarmos em quinto e chegar no G-4, que é nosso foco
agora”.

COMENTÁRIOS: