Globo critica censura no Fla, mas demite Tabet por ironizar o Extra

55
Antonio Tabet, vice-Presidente de Comunicação do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

UOL: O
humorista Antonio Tabet, vice-presidente de comunicação do Flamengo, foi
demitido do jornal O Globo após polêmica em sua coluna no jornal envolvendo sua
posição de colunista político e de integrante da diretoria do Fla. A notícia
sai depois de o clube carioca ter proibido um jornalista do O Globo e do Extra
de fazer perguntas em entrevista coletiva do técnico Reinaldo Rueda na última
sexta (29).

Na
coluna deste domingo, Tabet voltou a falar do clube e do jornal Extra, que fez
diversas piadas sobre o goleiro Muralha, do Flamengo, nos últimos meses e
irritou muito o clube carioca. No final do texto, uma nota do jornal explica o
desligamento do vice-presidente de comunicação do Flamengo.
“O
humorista Antonio Tabet, vice-presidente de comunicação do Flamengo, levou a
sério (as brincadeiras feitas com Muralha). Mas, no dia em que o jornal
retratou críticas da torcida a Tabet, o clube, em retaliação, decidiu impedir
que um repórter do Extra e também do Globo fizesse perguntas durante uma
entrevista coletiva, num ato de cerceamento de acesso à informação. Tabet usou
a coluna publicada acima, na editoria de Política, para tratar de assunto
relacionado à sua atividade no clube, como já fizera em outra oportunidade. Por
essa razão, O Globo decidiu interromper sua participação neste espaço”, diz
o jornal.
Um dos
trechos da coluna deste domingo cita nomes de jornalistas esportivos.
“Hoje, o jogo virou. O dirigente sou eu e, como Vice-Presidente de
Comunicação do Flamengo, lido com jornalistas esportivos com frequência.
Conheci gente muito boa, séria e responsável, como Carlos Gil, Arnaldo Ribeiro,
Amanda Kestelman, Gabriela Moreira, Eric Faria, Paulo Vinicius Coelho e outros
tantos cujos nomes encheriam essa página. Mas há uns do “Extra”
também”, diz o texto.
Na
sexta-feira (29), o clube proibiu o jornalista Diogo Dantas, dos jornais Extra
e O Globo, de fazer perguntas ao técnico Reinaldo
A
proibição foi motivada pelas últimas capas do jornal, principalmente a edição
desta sexta, que trouxe críticas que não agradaram internamente. O diretor Fred
Luz e o presidente Eduardo Bandeira de Mello acompanharam a coletiva.

O
Flamengo confirmou a proibição apenas pela entrevista de mais cedo e depois se
posicionou em nota, quando reforçou que as demandas especiais do veículo não
serão atendidas. Por outro lado, omitiu o veto feito ao jornalista.

COMENTÁRIOS: