Paquetá e Vizeu disputam brecha deixada por Guerrero no Flamengo

52
Felipe Vizeu e Lucas Paquetá em treino do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza

GLOBO
ESPORTE
: Com diversas dúvidas na cabeça, o técnico Reinaldo Rueda ainda não
definiu como o Flamengo encara o Fluminense nesta quinta-feira, às 17h (de
Brasília), no Maracanã. Um dos principais dilemas do treinador está no ataque:
Paolo Guerrero, que estava com a seleção peruana, chega ao Brasil somente na
quinta-feira. Se o camisa 9 não jogar, Paquetá e Vizeu são as opções.

Rueda
teve o maior tempo livre para trabalhar desde quando foi contratado pelo
Flamengo. Depois da derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, no último dia 2, o Rubro-Negro
folgou dois dias e treinou sete para o clássico contra o Fluminense. Neste
período, o treinador colombiano testou todas as opções para os desfalques que
pode ter.
Lucas
Paquetá, meia de origem e, consequentemente, mais livre para se movimentar, e
Felipe Vizeu, centroavante, podem substituir Guerrero e dar caras diferentes ao
Flamengo na 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Vizeu,
depois da saída de Leandro Damião para o Internacional, virou o substituto
direto do camisa 9. Antes das finais da Copa do Brasil, porém, se lesionou
durante a partida contra o Paraná, pela Primeira Liga, e perdeu espaço. Por ser
centroavante de origem, o jogador oferece características que mantêm o estilo
de jogo parecido com o que o Flamengo tem quando Guerrero joga: se posiciona
mais dentro da área, briga com os zagueiros, recebe cruzamentos.
Com Lucas
Paquetá, o Rubro-Negro passa a ficar mais leve. O garoto, meia de origem, foi
escalado por Rueda como centroavante em mais de uma oportunidade. Na posição,
porém, não fica centralizado dentro da área para receber lançamentos ou brigar
com os zagueiros. O armador, até por não ter o mesmo porte físico de Guerrero e
Vizeu, vira um “falso 9”, toca bem a bola e desfaz as linhas
defensivas do adversário.

Infelizmente, teve a lesão do Vizeu, por isso o Paquetá foi para a posição.
Assim como outros jogadores passam por essa onda de oscilação física. Queremos
ter o elenco nessa reta final na melhor condição. Por acaso, os jogadores estão
a cada dia tendo um melhor rendimento – disse Reinaldo Rueda durante a semana.
O
treinador colombiano ainda aguarda a chegada de Guerrero para saber a condição
do centroavante. Além dele, Cuéllar e Trauco, que também estavam na partida
entre Peru e Colômbia nesta terça-feira, chegam ao Rio de Janeiro na
quinta-feira.

COMENTÁRIOS: