Paquetá muda de posição e evolui com Rueda no Flamengo

337
Lucas Paquetá, atacante do Flamengo – Foto: Buda Mendes/Getty Images

ESPORTE
INTERATIVO
: Embora o Flamengo não esteja passando por um bom momento na
temporada, o mesmo não se pode dizer de Lucas Paquetá. O jovem atacante, de 20
anos, vive a sua melhor fase na carreira profissional. No começo do ano, pouco
se falava do jogador, mas​, no decorrer da temporada, ele evoluiu, mudou de
posição e se firmou de vez como segundo centroavante do elenco.

Enquanto
Zé Ricardo era o treinador do Flamengo, Lucas Paquetá jogou 12 vezes, todas em
sua posição de origem, meio de campo. Porém, com a chegada de Reinaldo Rueda, o
jogador aprendeu uma nova função: “homem de área”.
O início de tudo:
A
primeira partida improvisado como centroavante foi contra o Atlético-GO, no dia
19 de agosto, quando Guerrero e Vizeu (centroavantes de ofício) não estavam à
disposição de Rueda. Na ocasião, Paquetá não marcou gol, mas deu uma
assistência para Vinicius Junior e recebeu elogios do comandante colombiano.
“No
treinamento, testamos Paquetá na posição (de centroavante). O Lucas gostou, tem
vocação ofensiva, tem muita vontade, faz muito bem os movimentos. Ele é muito
‘fino’, tem muita qualidade técnica. É importante ter um atleta como ele no
ataque, com sangue, agressividade ofensiva, muito importante”, disse Rueda.
“Teve dedo” de Zé Ricardo:
Em
entrevista recente ao Esporte Interativo, Paquetá não deixou de dar crédito a
Zé Ricardo, demitido em agosto pelo Flamengo, e lembrou que o ex-técnico foi
quem começou a testá-lo como centroavante.
“Ainda
com o professor Zé Ricardo, teve um treino que o Guerrero estava um pouco
desgastado (…) Felipe (Vizeu) ficou de um lado e não tinha ninguém pra fazer
do outro, aí eu pedi para fazer (jogar como centroavante) […] quando o Rueda
chegou, o Jayme passou, que eu já tinha treinado com Zé Ricardo dessa maneira,
o Rueda analisou em alguns treinamentos e gostou”.
Briga por posição com o amigo Felipe
Vizeu:
De lá
pra cá, Paquetá cresceu, ganhou mais moral com Rueda e “virou”
centroavante, ​disputando vaga com o amigo nos tempos de base, Felipe Vizeu,
que se recuperava de lesão grave.
No dia
seguinte ao primeiro jogo da final da Copa do Brasil, quando jogou de
centroavante (Guerrero estava suspenso e Vizeu machucado) e marcou o gol do
Flamengo no empate em 1 a 1 com o Cruzeiro, Paquetá falou que a disputa é sadia
e revelou que recebeu apoio do companheiro.
“Já
(conversou com Vizeu). A gente é muito amigo. Nós estamos sempre conversando.
Esses dois jogos que fui jogar (como atacante), ele me deu dicas. Ele tá se
recuperando (de uma lesão no joelho) e graças a Deus não foi nada grave. Espero
que ele volte logo para nos ajudar”.
Com
Vizeu já recuperado e Guerrero sem poder jogar, Reinaldo Rueda, ainda assim,
optou por escalar Paquetá. No treinamento do dia 21 de setembro, quando o Flamengo
se preparava para encarar o Avaí (último jogo antes do segundo jogo da decisão
da Copa do Brasil), uma imagem emblemática chamou a atenção da reportagem:
Paquetá passa o colete do time reserva para Felipe Vizeu.
A confirmação?
No
último jogo do Flamengo, na derrota para a Ponte Preta, na última segunda-feira
(02), Guerrero, convocado à seleção peruana, esteve ausente. Vizeu, substituto
direto, ficou no banco de reservas e viu Paquetá ser o escolhido de Rueda.
Europa de olho:
Na
negociação para trazer Diego Alves, então no Valencia, da Espanha, o Flamengo
envolveu Lucas Paquetá e “deu” ao clube europeu o direito de
preferência na aquisição do atacante. O Esporte Interativo entrou em contato
com Luis Cortés Ruiz, da Gestiona Radio Valencia. Segundo o jornalista, os
espanhóis estão acompanhando o crescimento do jogador e o monitoram com
constância.
“Valencia
e os observadores técnicos estão observando as partidas de Lucas Paquetá. Estão
fazendo esse trabalho porque o Valencia tem o direito preferencial sobre
ele”.
Contrato longo e multa rescisória como
“escudo”:
Com a
ascensão de Lucas Paquetá no Flamengo, é normal que chame a atenção de outros
clubes, no Brasil e na Europa. Mas o Rubro-Negro está “tranquilo” por
conta do longo contrato: até dezembro de 2020, e a multa rescisória, que gira
em torno de R$ 100 milhões.
Elogios da torcida:
Mesmo
com a derrota do Flamengo para a Ponte Preta por 1 a 0, na última segunda-feira
(2), Lucas Paquetá recebeu elogios dos rubro-negros. Segundo eles, o jovem tem
mostrado disposição e vontade nos jogos em que participa.
Número de Lucas Paquetá na temporada:
Jogos: 21 (12 com Zé
Ricardo, nove com Rueda)
Gols: 4
Cartão vermelho: 0
Cartão amarelo: 1
Assistência: 1
Faltas recebidas: 24
Desarmes: 13

Passes certos: 281

COMENTÁRIOS: