Rueda precisa fazer esse Flamengo jogar

39
Rueda, treinador do Flamengo – Foto: Alexandre Loureiro/Getty Images

RENATO
MAURÍCIO PRADO
: É cedo para avaliar o trabalho de Reinaldo Rueda. Ele errou
feio hoje, ao inventar um meio-campo com Márcio Araújo e Rômulo, mas é evidente
que está testando e tentando conhecer bem o elenco e, por isso, falhas como
essa são normais e devem ser relativizadas. Urge, entretanto, que comece a dar
um padrão mínimo de jogo ao time.

Tal
qual no tempo de Zé Ricardo, o Flamengo continua a ter como praticamente única
jogada ofensiva os estéreis cruzamentos altos sobre a área. O gol de empate, de
Réver, até saiu num lance desses (em cobrança de falta bem executada por
Éverton), mas o número de ataques desperdiçados por bolas alçadas para ninguém
é ao mesmo tempo assustador e desanimador.
Com
Rueda, o rubro-negro acertou mais sua defesa e deixou de levar tantos gols em
contra-ataques. Mas do meio pra frente, a coisa está bastante complicada. A má
fase de Diego (que não jogou hoje, ainda sentindo dores musculares) pode
explicar parte do problema. Mas o treinador existe, justamente, para encontrar
alternativas e treiná-las à exaustão. Onde estão as ultrapassagens pelas
laterais? E as tabelinhas e triangulações ensaiadas? E as cobranças de faltas
sem ser em cruzamento?
É,
aliás, incrível o número de passes errados pelos jogadores do Mais Querido e
também a preocupação, inadmissível, em querer enfeitar certos lances, com
toquinhos de letra ou de calcanhar. Se tentando fazer o simples, já erram
tanto, imagina inventando? Cabe ao técnico puxar as orelhas dos envolvidos e
corrigir isso. Imediatamente.
Sua
insistência com Orlando Berrio também está atrapalhando. Hoje, por exemplo,
teria sido muito melhor entrar com Éverton Ribeiro, pela direita, Paquetá, no
meio, e Vizeu (depois, Guerrero), de centroavante. Sim, eu sei que Vizeu está
longe de ser o nove ideal de qualquer time. Mas com Paquetá adiantado, a área
do adversário fica simplesmente despovoada. E os cruzamentos malucos não chegam
em ninguém.
Nas
últimas três rodadas do Brasileiro, o Flamengo não venceu. Empatou com o Avaí e
com o Flu e perdeu da Ponte Preta. As possibilidades de chegar ao G-4, com
isso, vão escorrendo pelos dedos. E só está ainda na zona da Libertadores (como
sétimo colocado) porque a turma que vem em baixo também é mestre em tropeçar.
Mas o Atlético Mineiro já se encontra a apenas três pontos…
A
Sul-Americana, claro, pode salvar a temporada, com um título internacional e
uma vaga direta na principal competição das Américas. Mas jogando essa bolinha
mixuruca dá pra ter esperanças nessa conquista?
Rueda
precisa “inventar a roda” e fazer esse time jogar, ao menos, um feijão com
arroz bem temperado, como faz, por exemplo, Jair Ventura, com um Botafogo muito
menos qualificado mas muito mais bem armado e disposto.
E o
comando do futebol do Flamengo (vamos ver como se sairá esse Lomba) precisa dar
uma boa sacudida no elenco. Não dá pra pagar tanto e ver jogar tão pouco…

COMENTÁRIOS: