Caminho na Libertadores: Fla terá pedreira e velho conhecido na fase de grupos.

14

O sorteio dos grupos da Libertadores 2018 definiu quem estará no caminho do Flamengo no próximo torneio continental. O Rubro-Negro tenta afastar de vez o ”fantasma da fase de grupos” e terá pela frente ninguém menos que o poderoso River Plate – tricampeão do torneio. Outro rival definido é o Emelec, do Equador, que chegou nas oitavas em 2017.

Grupo 4 da Libertadores será preenchido por um time da fase classificatória. O mais tradicional que pode pintar na chave é o Independiente Santa Fé, campeão da Sul-Americana de 2015.
Abaixo, veja uma análise do que espera do Flamengo:
Pedreira Monumental 
Uma das maiores ”pedreiras” da Libertadores está no caminho do Rubro-Negro. O River Plate é um dos times mais tradicionais das Américas, sendo tricampeão do torneio e com resultados expressivos em disputas de mata-mata.
O técnico do River segue sendo Gallardo, que comandou a equipe ao título da Libertadores de 2015. É um dos maiores vencedores da história do clube e tem grande aceitação das arquibancadas. Também ganhou uma Sul-Americana em 2014 como treinador.
Marcelo Gallardo é um dos mais vitoriosos do River (Foto: Gabriel Rossi/Getty Images)
Como foi 2017?
No âmbito nacional, o River venceu a Copa da Argentina. No Campeonato Argentino, por enquanto, está apenas na 17ª colocação, a 15 pontos do maior rival, o líder Boca Juniors . A equipe acabou poupando jogadores para a Libertadores.
No torneio continental, caiu na semifinal diante do Lanus após uma virada incrível no jogo de volta, na casa do rival. Antes aplicou a impressionante goleada por 8 a 0 sobre o Jorge Wilstermann nas quartas de final.
Estádio e logística
O River joga em um dos estádios mais emblemáticos do continente: o Monumental de Nuñez, que é a casa da seleção argentina. A capacidade atual é para 62 mil pessoas. Apesar de não ter o estilo ”alçapão”, costuma fazer pressão para os visitantes.
Em termos de logística, a viagem para Buenos Aires não será um problema para o Flamengo. Há diariamente voos diretos do Rio de Janeiro até a capital argentina, com voos de três horas duração.

Monumental em dia de casa cheia para jogo do River (Foto: JUAN MABROMATA / AFP)

O destaque
A grande figura da equipe é Enzo Perez – contratado no meio da temporada. O meia disputou a Copa de 2014 pela Argentina e foi convocado recentemente. Assim como o Flamengo, o River está em busca de um centroavante para 2018. Lucas Pratto, do São Paulo, está na mira.
Enzo Pérez  é destaque do River Plate que enfrentará o Flamengo (Foto: Juan Mabromata/AFP)
Velho Conhecido
Emelec é um velho conhecido da torcida do Flamengo na Libertadores. A equipe equatoriana esteve no mesmo grupo do Rubro-Negro nas disputas de 2012 e 2014. Apesar de o time brasileiro não ter avançado de fase nas duas ocasiões, o confronto dá vantagem aos brasileiros: ganhou três e perdeu uma, fora de casa.
Como foi 2017?
Em 2017, o Emelec disputou a Libertadores e avançou em segundo do grupo 3 (que teve o River como líder). A equipe foi eliminada nas oitavas de final do torneio em confronto contra o San Lorenzo. Os dois jogos terminaram em 1 a 0, e a equipe argentina levou a melhor nos pênaltis.
Participou das últimas oito edições da Libertadores. Caiu na fase de grupos em 2010, 2011, 2014 e 2016, foi às oitavas em 2012, 2013 e 2017, e às quartas em 2015
Emelec caiu para o San Lorenzo nas oitavas da Libertadores 2017 (Foto: Rodrigo Buendia/AFP)
No campeonato do Equador, o Emelec foi o campeão de 2017. A equipe venceu o Delfin na decisão, com um 6 a 2 no placar agregado. A final aconteceu no último fim de semana.
Destaque
O destaque individual da equipe atualmente é Ayrton Preciado, jovem equatoriano de 23 anos. Formado pelo Deportivo Quito, ele teve passagem por times pequenos do futebol de Portugal e está no Emelec desde o começo do ano. Ele atua como centroavante e tem no currículo convocações para a seleção equatoriana. Fez 14 gols em 2017.
Estádio e logística
O Emelec joga no estádio George Capwell com capacidade para 39.053 em Guayaquil. A cidade equatoriana não tem o fator negativo da altitude, mas não há voos diretos do Rio de Janeiro, o que aumenta a dificuldade de logístico do Flamengo. O translado, com escala, pode demorar até dez horas.
O estádio do Emelec (Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com)
QUEM PODE VIR?
SÃO CINCO TIMES QUE PODEM PREENCHER O GRUPO 4 DA LIBERTADORES. O MAIS TRADICIONAL, SEM DÚVIDAS, É O INDEPENDIENTE SANTA FÉ, DA COLÔMBIA. A EQUIPE FOI CAMPEÃ DA COPA SUL-AMERICANA EM 2015, TENDO MAIS EXPERIÊNCIA QUE AS DEMAIS EM TORNEIOS INTERNACIONAIS.
As outras opções são Deportivo Macará (EQU) x Deportivo Táchira (VEN) , Santiago Wanderes (CHI) ou Melgar (PER).
Macará e Táchira se enfrentam na primeira fase do torneio. O vencedor deste confronto pega o Santa Fé na sequência. Depois, o time que seguir adiante encara o Santiago Wanderes ou o Melgar. A fase pré da Libertadores já começa no final de janeiro.
Fonte: GE.com

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here