Com dificuldade para liberar jogadores, Flamengo trava chegada de reforços.

23
  • Ao definir que só se reforçaria em 2018 depois de abrir espaço no elenco e na folha salarial, o Flamengo travou seu planejamento. O motivo é o alto custo dos jogadores que o clube colocou na vitrine para serem negociados. Com altos salários e vínculos em vigor em sua maioria, nomes como Alex Muralha, Rafael Vaz, Gabriel e Mancuello, que despontaram na barca rubro-negra, têm as saídas dificuldadas no primeiros dias da nova temporada.
Em outra ponta, o Flamengo também sofre para concretizar as contratações pontuais. Muito porque elas dependem dessas saídas para respeitar o orçamento. No cenário atual, apenas Márcio Araújo, que teve vínculo encerrado no último dia de 2017, tem a situação encaminhada. Ou renova por um ano e sai por empréstimo ou rescinde. Com salário abaixo da média no Flamengo, está perto da Chapecoense, mas desperta interesse de outras equipes brasileiras.
Nos demais casos, os salários entre R$ 200 e R$ 300 mil afugentam os interessados. A ideia era vender Alex Muralha, Vaz, Mancuello e Gabriel para recuperar o alto investimento. No entanto, apesar de algumas sondagens, as negociações param quando os valores da cifras destinadas aos jogadores aparecem no papel. O goleiro teve contrato renovado até 2020 e reajuste salarial. O prazo é o mesmo do meia argentino. O atacante também renovou, até 2019, mesmo sem jogar. Já o zagueiro tem vínculo até o fim do ano.
A qualificação do elenco nos últimos anos, portanto, acabou fazendo com que as eventuais sobras de jogadores se desse em um patamar alto. Desta forma, o planejamento dos contratos e das próprias negociações estão mais criteriosos, e novas investidas são consideradas difíceis.
A indefinição sobre a permanência do técnico Reinaldo Rueda é apenas um agravante a mais. Nas últimas horas, a imprensa chilena deu conta que o treinador seguirá ao Brasil para confirmar seu acerto com a seleção do Chile ao Flamengo, que já se prepara para cobrar a multa rescisória e acena com Paulo Cesar Carpeggiani como comandante da equipe. Ele viria para o cargo de coordenador.
Sem a certeza sobre Rueda, a diretoria recebeu os primeiros jogadores no Ninho do Urubu ontem para o início da pré-temporada, de olho no Estadual. Foram sete atletas: Gabriel Batista, Thuler, Klebinho, Ronaldo, Jonas, Jean Lucas e Jajá.
O clube terá o elenco completo no dia 13. Até lá, espera definir tudo sobre chegadas e saídas. Para ter o lateral Zeca, do Santos, mesmo com cautela do setor jurídico, a diretoria descartou ceder o atacante Felipe Vizeu. O jovem é o único centroavante hoje, ao lado do garoto Lincoln, já que Guerrero ainda não sabe quando retorna até o julgamento na Fifa. Caso consiga diminuir ainda mais a pena de seis meses por suposto doping, pode ser o principal reforço.
Nos últimos dias, porém, dirigentes fizeram contato para oferecer a Adriano um projeto de recuperação, mas o ídolo não se enquadraria como nome de alto nível para o time principal em um primeiro momento. A ideia é recuperar o Imperador antes de pensar em contrato.
Ontem, a diretoria do Flamengo confirmou a ampliação do prazo de estudos para a viabilidade do terreno da Avenida Brasil, escolhido como possível local para a construção de seu estádio. O vice de patrimônio do clube, Alexandre Wrobel, agendou uma reunião para a próxima terça-feira com proprietários da área e arquitetos que já se debruçam no projeto há alguns meses.
Reprodução: O Globo

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here