Comentaristas concordam com barração de Éverton Ribeiro: “Não tem sido decisivo”

61

A possível barração do meia Éverton Ribeiro no time titular do Flamengo virou assunto de debate no Seleção SporTV desta quarta-feira. A mesa, formada por Lédio Carmona, Muricy Ramalho, Jader Rocha e André Rizek, foi unânime ao dizer que a decisão do técnico foi correta.

– O Éverton Ribeiro não está jogando para ser titular. Eu acho até que ele melhorou nos últimos jogos, mas ainda não tem sido protagonista, não tem sido decisivo, não tem sido constante e regular. Aí vão falar: “Mas o Diego também não”, mas o Diego subiu nos últimos jogos, ele nem tanto – afirmou Lédio.

– Eu acho que é muito sintomático. Uma segunda decisão, em casa, em um intervalo tão curto e o Éverton Ribeiro é barrado de novo. Ele não está bem – analisou Rizek.

– Você tem dois moleques nesse momento, o Lucas Paquetá e o Vinicius Jr., que estão jogando muito mais bola que o Éverton Ribeiro. Contra os fatos não têm argumentos. É aquela história, você tem que colocar os dois meninos para jogar e o Éverton que trabalhe para recuperar o espaço. Hoje o mérito é técnico. Então pronto, não se questiona – completou Jader.

De acordo com Muricy, o investimento feito pelo Flamengo na contratação do meia (é o atleta mais caro da história do clube) não faz diferença na hora da tomada de decisão.

– Para um técnico experiente, não significa muita coisa não (barrar um jogador que foi caro). Porque o Carpegiani sabe. Ele nem olha para o investimento, quer saber se o cara está bem naquele momento. Ele tem que pôr o que é melhor. Pode ser que um técnico novo sinta essa pressão.

Se os comentaristas concordaram de forma unânime com a saída do ex-jogador do Cruzeiro, a provável escalação escolhida pelo treinador Paulo César Carpegiani não foi tão bem recebida. Lédio discordou da mudança de posição de Éverton, que deve jogar na lateral-esquerda. Já Muricy, gostou.

– Eu acho um desperdício colocar o Éverton de lateral-esquerdo. É um jogador que dá muito certo aberto na frente. É um desafogo. O que eu faria aí, manteria o Éverton na frente, colocaria o Paquetá como segundo volante e o Vinicius Jr. pela direita, onde ele ganhou o jogo contra o Emelec. Eu não gosto da escalação não, acho que desperdiça o Éverton. O Arão não está jogando para ser titular de novo, muito pelo contrário. Eu manteria o Renê – analisou Carmona.

– Eu gostei da escalação. Porque o Éverton é um cara que joga em qualquer lugar. Pela condição física dele, joga aberto, joga de 2º volante. A escalação é boa, ofensiva para caramba. Por que ele põe, por exemplo, o Arão ou outro volante, primeiro que o Arão é um segundo volante, mais um meia do que volante, é para pôr um pouquinho mais de gente no meio-campo e liberar o Éverton que é um cara que vai atacar muito. A gente tem esse raciocínio. Ou seja, tá bom eu tenho um time ofensivo pelo lado, mas tenho que ter um cara por dentro que preencha mais esse meio-campo – pontuou Muricy.

Na volta do intervalo, André Rizek leu uma mensagem do gerente de comunicação do Flamengo, Tiago Pereira, dizendo que o programa “forçou polêmica” na discussão do Éverton Ribeiro.

– O gerente de comunicação do Flamengo, Tiago Pereira, reclamou que a gente está “forçando polêmica” no programa, inclusive com manchetes. Acredito que ele não tenha gostado da discussão sobre o Éverton Ribeiro, o que é um direito dele, assim como é o nosso direito discutirmos aquilo que bem entendermos. E, democraticamente a gente coloca aqui as opiniões contrarias às nossas – encerrou Rizek.

Reprodução: Globoesporte

COMENTÁRIOS: