Árbitro justifica expulsão de E. Ribeiro na súmula

210

Na partida entre Vitória e Flamengo em Salvador, terminou com muita reclamação da arbitragem. O problema com o árbitro começou quando ele deu um pênalti inexistente a favor da equipe baiana e além disso, houve a expulsão de Everton Ribeiro.

As imagens são claras: Éverton Ribeiro não colocou a mão na bola em lance que resultou sua expulsão e originou o primeiro gol do Vitória. Mas, na súmula, o árbitro do duelo no Barradão, Wagner Reway escreveu o que viu aos nove minutos de jogo.

O erro grosseiro revoltou a diretoria do Flamengo, que viu seu time perder dois pontos em Salvador com um jogador a menos por mais de 80 minutos.

Wagner Reway fala em "uso intencional de mão na bola" (Foto: Reprodução/CBF)

Após o jogo no Barradão, Eduardo Bandeira de Mello, inclusive, falou que o árbitro reconheceu o equívoco, mas isso não ficou expresso na súmula.

Não vamos pedir afastamento de ninguém, não nos cabe. Mas fico feliz de ele ter reconhecido que errou, o lance é claro, ele está de frente para o Éverton Ribeiro, e a bola bate na cara. Quando se tira com a mão (a bola) é amortecida, ali bate na cara e vai para longe. Um arbitro Fifa teria que ter essa experiência. Eu acho que ele deveria ter agido corretamente, o Flamengo não teria tido o prejuízo que teve.

Com a expulsão, Éverton está fora do próximo jogo do Fla no Brasileirão, contra o América-MG, no próximo sábado, às 19h30. Vale ressaltar que essa partida contra o América-MG, está programada para ser a despedida oficial do goleiro Julio Cesar. O Flamengo espera que a torcida lote o estádio para que o jogador tenha uma despedida digna vestindo a camisa do clube de coração.

COMENTÁRIOS: