Relembre os desempenhos dos últimos 10 técnicos do Flamengo

96

Mano Menezes: O ex-técnico da Seleção Brasileira desembarcou na Gávea em junho de 2013, e surpreendeu ao pedir demissão logo após uma derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, pelo Brasileirão. Em três meses e dois dias, Mano Menezes comandou a equipe em 22 partidas, com nove vitórias, seis empates e sete derrotas.

Jayme de Almeida: Com a saída de Mano, Jayme de Almeira, auxiliar na época, foi efetivado como treinador em 2013. Com ele, o Rubro-Negro ganhou a Copa do Brasil no mesmo ano e o Carioca na temporada seguinte. Porém, após maus resultados no Brasileiro de 2014, foi demitido durante a parada da Copa do Mundo. Foram 49 jogos, com 27 vitórias, 12 empates e dez derrotas.

Ney Franco: O Flamengo anunciou Ney Franco como novo técnico em maio de 2014. Porém, a segunda passagem do treinador pelo clube foi curta. Ele foi demitido em julho após comandar o time em apenas sete partidas, sendo três empates e quatro derrotas.
Vanderlei Luxemburgo: Substituto de Ney Franco em 2014, Vardelei Luxemburgo conseguiu tirar o Rubro-Negro da ‘zona da confusão’ do Brasileirão e levou a equipe às semifinais da Copa do Brasil daquele ano, quando foi eliminado pelo Atlético-MG. Porém, no ano seguinte, não resistiu à queda na semifinal do Carioca para o Vasco e ao início oscilante no Brasileiro. Em 59 jogos, foram 34 vitórias, 14 derrotas e 11 empates.
Cristóvão Borges: Cristovão Borges chegou ao Flamengo em maio de 2015, e não conseguiu engatar uma boa sequência de resultados da equipe no Brasileirão.Após maus resultados, e o revés por 1 a 0 para o Vasco no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, o treinador durou 18 partidas, somando oito vitórias, um empate e nove derrotas até agosto.
Oswaldo de Oliveira: Contratado para a vaga de Cristovão Borges, Oswaldo teve início animador com seis vitórias seguidas no Brasileirão, que levou ao time ao G4. Porém, o time caiu de rendimento na sequência da competição e perdeu prestígio com a direção rubro-negra. Ao todo, o treinador comandou o Fla em oito vitórias, três empates e sete derrotas.
Muricy Ramalho: Muricy Ramalho chegou ao Flamengo depois da reeleição de Eduardo Bandeira de Mello. Em dezembro de 2015, ele foi anunciado como novo comandante. Em campo, porém, o resultado não foi dos melhores. Contabilizou eliminações na Primeira Liga, Carioca e Copa do Brasil. O treinador ficou 26 jogos no comando do clube: com 13 vitórias, seis empates e sete derrotas. Ele deixou o cargo em 2016 após ser vítima de uma arritmia cardíaca e largar a carreira de treinador.
Zé Ricardo: Campeão da Copa São Paulo de Futebol Junior em 2016 com o time sub-20, Zé Ricardo foi promovido ao cargo em maio do mesmo ano. O treinador mostrou seu potencial e colocou a equipe na Copa Libertadores de 2017 e brigou pelo título do Brasileirão até as últimas rodadas. Em 2017, porém, Zé Ricardo conviveu com as críticas dos torcedores, principalmente após a queda precoce na Libertadores, ainda na primeira fase. Foram 47 vitórias, 25 empates e 17 derrotas. O treinador conquistou o Campeonato Carioca no primeiro semestre.
Reinaldo Rueda: Reinaldo Rueda ficou quatro meses no cargo, perdeu as duas finais que disputou (Copa do Brasil e Sul-Americana) e trocou o Flamengo pela seleção do Chile após 31 partidas (13 vitórias, 10 empates, 8 derrotas).
Paulo Cesar Carpegiani: Com a saída de Rueda para o Chile, Carpegiani, que tinha sido convidado para ser o coordenador técnico, foi colocado no cargo de técnico em 2018. Deixou o comando após a eliminação para o Botafogo na semifinal do Carioca, tendo perdido apenas um jogo com o time titular (17 jogos, 11 vitórias, 3 empates e três derrotas).
Reprodução: Lance!

COMENTÁRIOS: